Feira Hippie volta a funcionar com mais espaço e agrada clientes

volta feira hippie
Especialista acredita que é difícil seguir medidas de prevenção nas feiras (Moisés Teodoro/BHAZ)

A tradicional Feira Hippie voltou a funcionar neste domingo (27), em Belo Horizonte. Enquanto alguns expositores comemoram a retomada, outros protestaram pedindo para que sejam ouvidos pela PBH (Prefeitura de Belo Horizonte). Devido à pandemia do novo coronavírus, a feira se expandiu para mais alguns quarteirões da avenida Afonso Pena. O público que passou pelo local gostou do espaço “extra”. A feira não ocorria desde o dia 22 de março.

“Está sensacional e digo mais, prefiro desta forma. Tomara que fique assim. Melhorou a circulação das pessoas e nós conseguimos ver os produtos de uma forma melhor nas barracas. Antes todo mundo ficava aglomerado e nem era possível. Este novo layout da Feira Hippie nos dá segurança, já que ainda estamos com a pandemia”, disse o promotor de vendas Fernando Melo.

A expositora Diva Saraiva, que vende bijuterias, registou baixa nas vendas, apesar do grande número de pessoas que visitaram o local. “O povo está andando, mas não está comprando. Mesmo assim eu fico feliz pela volta da Feira Hippie. Temos que lembrar que as coisas estão difíceis para todos. O povo não está tendo tanto dinheiro e estamos em fim de mês”.

feira hippie belo horizonte
Feira tem novo layout devido à pandemia do novo coronavírus (Moisés Teodoro/BHAZ)

Ficar pouco mais de seis meses sem poder trabalhar impactou muito a vida de todos os feirantes, conforme conta Cláudia de Almeida, que há 25 anos vende doces. “Foi difícil ficar este tempo parada, aliás está sendo muito difícil. Tem gente que vive exclusivamente da feira e está passando fome. Não tem o que comer em casa”, conta. A feira não era realizada desde o dia 22 de março.

‘Alegria’

Marcela Caldeira vende camisas infantis pintadas à mão e hoje era só “alegria” pela retomada da feira. “Estou muito alegre por esta volta. Todos os feirantes estão assim. Se Deus quiser, vamos continuar nas próximas semanas e não vai ser preciso fechar de novo. Foi barra demais ficar este tempão sem poder trabalhar, mas voltamos”.

Quem também aprovou o novo layout da feira foi a pedagoga Andreza Menezes. “Acredito que desta forma está bom para todos, tanto para os feirantes quanto para os visitantes. O trajeto ficou maior, mas sabemos que é para segurança de todos e isso que importa. É um novo normal e todos nós precisamos se adequar”, comenta.

expositores feira hippie
Expositores comemoram retomada da feira (Moisés Teodoro/BHAZ)

Protesto

A retomada da Feira Hippie também foi marcada por protesto de feirantes do setor de alimentação. Eles desejam que as barracas deles fossem autorizadas a ficaram na Afonso Pena, e não na rua Espírito Santo e na avenida Álvares Cabral, conforme determinado pela PBH.

“A prefeitura nos desmembrou da feira ao nos tirar da Afonso Pena. Achamos uma falta de respeito o que fizeram, pois nós pagamos imposto igual os demais feirantes. Falaram que vamos ficar neste novo espaço até o fim da pandemia, mas não teve nenhum documento assinado que comprove”, conta Cristiane Alves, que tem uma barraca de espetinhos.

A revolta com a determinação do Executivo Municipal fez com que a maioria dos feirantes do setor não trabalhasse hoje. “O lugar que nos colocaram é distante para todos. Nós cobramos diálogo por parte da PBH, pois somos nós que entendemos a feira. Trabalho aqui há 40 anos e esta é minha única fonte de renda. Nós merecemos dignidade e não ser tratado igual cachorro”.

protesto feirantes
Feirantes do setor de alimentação desejam volta para a avenida Afonso Pena (Moisés Teodoro/BHAZ)

Regras

Veja as regras para o funcionamento da Feira Hippie:

  • Em barracas contíguas, é recomendável, para segurança dos expositores, o uso de dispositivo de proteção de material resistente e de fácil higienização conforme normas sanitárias, para isolamento entre as barracas;
  • Os feirantes devem disponibilizar dispensadores com álcool 70% em cada barraca e nos locais de alimentação;
  • Uso obrigatório de máscara por todos os frequentadores, incluindo os feirantes, durante o período em que permanecerem na feira, exceto quando estiverem em momento de alimentação.
  • Os feirantes deverão realizar a troca da máscara no máximo a cada quatro horas de trabalho, sempre que estiver úmida ou sempre que necessário;
  • Feirantes em contato direto com o público deverão usar máscara e protetor facial;
  • Higienizar frequentemente as mãos com álcool 70%;
  • Higienizar as mãos dos visitantes a cada vez que eles forem requisitar uma mercadoria.
  • Cobrir a máquina de pagamento com filme plástico, para facilitar a higienização após o uso;
  • Equipamentos de proteção e máscaras não podem ser compartilhados;
  • Os feirantes não podem comparecer em caso de constatação ou suspeita de ter contraído a covid-19, devendo se dirigir para atendimento em unidades de saúde.
  • Cabe aos feirantes direcionar as filas e demarcar posições para evitar aglomerações, respeitando o distanciamento de 2m (dois metros) entre as pessoas;
  • Vedado o uso de provadores;
  • Vedadas atividades de entretenimento que possam causar aglomerações como música ao vivo, dança, apresentações teatrais, projeção de imagens e a permanência de pessoas que não estejam em atividades de compras na feira;
  • Reforçar cuidados nas áreas de manipulação de alimentos: proibido todo ato que possa contaminar os alimentos, tais como comer, fumar, tossir, espirrar, se coçar ou tocar o nariz, orelhas ou boca, usar o celular ou realizar outros hábitos inseguros;
  • Os funcionários devem higienizar as mãos antes da entrega dos alimentos e bebidas;
  • Vedada a utilização de adornos pessoais, como anéis, pulseiras, gargantilhas, relógios, colares e brincos grandes, pelos profissionais que manipulam alimentos. Permitido o uso de brincos pequenos;
  • Vedada a disposição de alimentos para degustação;
  • Eliminar o menu físico (podem ser utilizados cartazes, painéis ou descartáveis). Não sendo possível, utilizar modelo plastificado que deve ser higienizado após cada uso;
  • Oferecer guardanapos, talheres, pratos e copos descartáveis;
  • Galheteiros, saleiros, açucareiros e outros dispensadores de temperos, molhos e afins ficam proibidos, sendo necessário prover sachês de uso individual;
  • O consumo de alimentos no setor destinado a essa finalidade será permitido desde que as pessoas estejam sentadas nos locais destinados à alimentação, sendo vedado o consumo de alimentos e bebidas ao redor das barracas;
  • Deve ser observado o distanciamento mínimo de 2m (dois metros) entre as mesas e 1m (um metro) entre ocupantes na mesma mesa;
  • Máximo de quatro pessoas por mesa;
  • As mesas e cadeiras deverão ser limpas e higienizadas após a troca de usuários;
  • Espera e filas de pagamento devem assegurar o distanciamento de 2m (dois metros) entre as pessoas, com as devidas marcações;
  • As barracas de alimentos deverão disponibilizar funcionários exclusivos para o caixa;
  • Os alimentos devem chegar a feira pré-preparados, sendo apenas finalizados no local;
  • O cliente deverá permanecer de máscara no local, retirando-a apenas para comer e/ou beber;
  • Oferecer guardanapos, talheres, pratos e copos descartáveis;
  • Galheteiros, saleiros, açucareiros e outros dispensadores de temperos, molhos e afins ficam proibidos, sendo necessário prover sachês de uso individual;
  • O consumo de alimentos no setor destinado a essa finalidade será permitido desde que as pessoas estejam sentadas nos locais destinados à alimentação, sendo vedado o consumo de alimentos e bebidas ao redor das barracas;
  • Deve ser observado o distanciamento mínimo de 2m (dois metros) entre as mesas e 1m (um metro) entre ocupantes na mesma mesa;
  • Máximo de quatro pessoas por mesa;
  • As mesas e cadeiras deverão ser limpas e higienizadas após a troca de usuários;
  • Espera e filas de pagamento devem assegurar o distanciamento de 2m (dois metros) entre as pessoas, com as devidas marcações;
  • As barracas de alimentos deverão disponibilizar funcionários exclusivos para o caixa;
  • Os alimentos devem chegar a feira pré-preparados, sendo apenas finalizados no local;
  • O cliente deverá permanecer de máscara no local, retirando-a apenas para comer e/ou beber;
  • Recomenda-se que visitantes, feirantes e expositores pertencentes ao grupo de risco (acima de 60 anos, grávidas e portadores de doenças crônicas) não frequentem feiras;
  • Separar lixo com potencial risco de contaminação para descarte (como luvas, máscaras e EPIs) e descartar de forma apropriada.
Novo layout da Feira Hippie (Reprodução/PBH)

Edição: Aline Diniz
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários