Mulher de biquíni do Leblon dá sua versão da história: ‘Tapa bem dado’

Scheila Mack briga de biquini leblon
Scheila disse que foi provocada pela cliente do restaurante (Reprodução/@schegmack/Instagram + Reprodução/@antoniotabet/Twitter)

A briga no Leblon entre uma mulher de biquíni que trafegava em um conversível e clientes de um restaurante tem dado o que falar. Agora, Scheila Mack, a moça do carro, resolveu dar sua versão do que aconteceu na última sexta-feira (25), no bairro do Rio de Janeiro. A moça contou que foi provocada pela mulher no restaurante e que não se arrepende do tapa.

Segundo Scheila, ela estava no carro rindo e conversando com os amigos, quando a mulher no restaurante a chamou de “vagabunda”. “Olhei pro lado e ela, com a maior cara de deboche, me mandou um beijo. Achei desnecessário, dei até risada, falei ‘Será que ela quer participar?'”, relatou.

A cliente do restaurante a quem Scheila se referiu é a arquiteta Aline Araujo, que também usou o Instagram para dar sua versão da história. Segundo ela, o grupo estava fazendo “preliminares” dentro do carro conversível. “Aparecendo tudo que a gente poderia imaginar de um filme pornô, bem ali, na nossa frente”, afirmou.

No entanto, Scheila negou a alegação da arquiteta. “Tudo que ela falou sobre orgia, não tem… É só assistir o vídeo, fatos são fatos, não teve isso”, garantiu.

A gota d’água

Scheila disse que perdeu a paciência quando uma garrafa de água foi jogada contra ela. “Olhei diretamente pra ela, porque já sabia que era ela, porque ela já tinha mexido comigo. Ela, no maior deboche, me manda outro beijo. Como não tenho sangue de barata, na hora minha reação foi pular do carro”, relembrou.

“Só que pulei e não sabia o que ia fazer, pulei porque fiquei com muita raiva, não aceito apanhar de graça. Quando pulei, ela fez assim para mim: ‘Vem’. Eu fui. Revidei. Apanhei, revidei. Tô certa? Eu acho que eu tô. Eu tenho certeza de que não mereço apanhar a toa. Bati, bati sim, ela não se esquivou não, tá? Bati com força e foi um tapa bem dado”, continuou.


Após alguns tapas, um homem que acompanhava Aline correu atrás de Scheila, que voltou para o carro. Ele, então, arrancou o biquíni da mulher, que saiu tapando os seios com as mãos. Mas ela garantiu que não sente raiva. “Espero realmente que você tenha paz de espírito e consiga se encontrar nessa vida para não ter inveja dos outros”, concluiu Scheila.

O outro lado

Apesar de ter sido quem jogou a garrafa de água em Scheila, a arquiteta Aline garantiu que não era a única que estava incomodada com o grupo no carro. “Eu estava com duas criança na minha mesa, eram 20h da noite. Os três estavam fazendo preliminares”, explicou.

Em entrevista à Veja, ela disse que não imaginava que Scheila iria reagir com agressividade. “Minha intenção ao jogar era ser lúdica com as crianças, tanto que falei para elas: ‘Vamos apagar esse fogo!'”, afirmou.

Sobre a atitude do namorado de arrancar o biquíni de Scheila, a arquiteta garantiu que foi um acidente. “Ele queria segurá-la até a chegada a polícia, já que ela me agrediu. A ideia era segurar o braço dela, mas ela estava molhada, e se esquivou. Ele acabou arrancando a parte de cima sem querer”, narrou.

Edição: Aline Diniz
Guilherme Gurgel
Guilherme Gurgelguilherme.gurgel@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários