Adeus ou até logo, Z4? Cruzeiro tritura a Ponte e anima torcedor

machado gol cruzeiro ponte preta mineirão série b
Machado comemora o primeiro gol do Cruzeiro na noite (Bruno Haddad/Cruzeiro)

Por Sara Zeferino, especial para o BHAZ

O respiro chegou – e que respiro! Após duas derrotas preocupantes, para dois times da rabeira da tabela, o Cruzeiro conseguiu proporcionar um alento para o torcedor – e não foi qualquer fôlego. O time comandado por Ney Franco goleou a Ponte Preta – que ocupa o outro extremo da tabela, no G4 – por 3 a 0 no Mineirão, na noite desta quarta (30). E a vitória poderia ser ainda mais elástica se não fosse a exibição excelente do goleiro rival, Ivan.

Resta saber, agora, se na próxima rodada o cruzeirense vai assistir a um desempenho semelhante ao de hoje ou ao das duas partidas anteriores, quando o Cabuloso sofreu revés alarmantes. A resposta será dada no próximo sábado (3), contra nada menos do que o líder do campeonato, Cuiabá, fora de casa: na Arena Pantanal. Apesar da empolgante vitória, o time celeste continua na 15ª posição, ainda bem próximo do Z4.

Pior que tava…

Depois de uma derrota para o então lanterna da Série B e outra, na sequência, dentro do Mineirão, para um dos times que ocupavam a rabeira da tabela, não tinha como ficar pior. Aliás, até tinha, mas não tinha como manter o time. E foi exatamente isso que Ney Franco fez: mexeu na equipe. Régis, Henrique e Sassá começaram como titular por opção – e a dupla de zaga foi modificada por necessidade: entraram Manoel e Ramon no lugar de Léo e Cacá, indisponíveis para o duelo de hoje.

Golaço no comecinho!

Não tinha como começar melhor! Felipe Machado, volante que costuma arriscar chutes de fora da área, abriu o placar para o Cruzeiro em bela cobrança de falta pelo lado esquerdo de ataque. O chute foi no canto direito do goleiro da Ponte Preta, que não conseguiu alcançar a bola e viu as redes balançarem. Logo aos 13 minutos de partida, o respiro que a equipe de Ney Franco precisava: 1 a 0.

Gol de videogame

E teve mais ainda no 1T! Em bela troca de passes pelo lado esquerdo de ataque, Régis tocou a bola para o garoto Matheus Pereira, que foi para a linha de fundo, levantou a cabeça e encontrou Arthur Caíke. O atacante recebeu o passe e mandou a bola para o fundo do gol. Trinta minutos de partida e 2 a 0 para o Cruzeiro.

Mais um? Já?

2 a 0 e contando! Quatro minutos depois do segundo tento, quase veio o terceiro. Depois de saída errada do time de Campinas, a bola sobrou para o atacante Sassá, que ficou frente a frente com o goleiro Ivan. Mas o atacante perdeu a chance de aumentar a vantagem – o rebote sobrou para o meia Régis que também desperdiçou a oportunidade de gol.

O 3 a 0 parou na trave

“Não para, não para, não para, não!” – o Cruzeiro estava descontrolado, no melhor sentido da palavra. Aos 38, tudo ainda na primeira etapa, os jogadores de Ney Franco carimbaram a trave do terceiro colocado da tabela. Após belo cruzamento de Régis, o atacante Airton apareceu sozinho na grande área e fez um belo cabeceio – por capricho, a bola “apenas” carimbou o travessão do goleiro da Ponte Preta.

Ivaaaaaan!

O Cruzeiro terminou o 1T pressionando, foi para o vestiário e voltou para a etapa final pressionando. Após algumas jogadas agudas, uma verdadeira blitz do time celeste aos 24. Maurício chutou contra a meta do goleiro Ivan, que espalmou. O rebote sobrou para Maurício, que tocou para Sassá e o camisa 99 mandou a bola na trave. Em novo rebote para a equipe celeste, Daniel Guedes chutou em cima do goleiro da Ponte Preta.

Ivan adia o 3º de novo

Sete minutos depois, quem resolve aparecer para adiar o novo grito de gol do cruzeirense? Sim, Ivan – de novo. Em nova oportunidade para o time do Cruzeiro, Maurício correu do campo defensivo até o ataque e encontrou fôlego para finalizar. O excelente goleiro Ivan apareceu de novo e mandou a bola para escanteio.

Manoel fura o bloqueio

Eis que o terceiro gol tão merecido aparece. Depois de grandes defesas do goleiro Ivan, que conseguiu conter boas oportunidades celestes, Manoel passou pelo arqueiro da Ponte Preta. Aos 32 do 2T, depois de cruzamento do meia Régis, o zagueiro apareceu livre na grande área e balançou as redes.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 3 X 0 PONTE PRETA

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento
Assistentes: Pedro Jorge Santos de Araújo e Wagner Jose da Silva
Cartões amarelos: Airton, Jadsom (Cruzeiro); João Paulo, Wellington Carvalho (Ponte Preta)

GOLS:
Cruzeiro: Machado (13 minutos do 1º tempo), Arthur Caíke (30 minutos do 1º tempo), Manoel (32 minutos do 2º tempo)

CRUZEIRO: Fábio, Daniel Guedes, Ramon, Manoel e Matheus Pereira; Henrique (Rafael Luiz), Machado (Jadsom), Régis; Arthur Caíke (Maurício), Airton (Caio) e Sassá (Marcelo Moreno).
Técnico: Ney Franco

PONTE PRETA: Ivan, Dawhan, Luizão, Wellington Carvalho (Alisson), Ernandes (Guilherme Pato); Luís Oyama, Neto Moura (Danrley), João Paulo, Luan Dias (Lazaroni), Bruno Rodrigues e Matheus Peixoto (Moisés).
Técnico: João Brigatti

Edição: Thiago Ricci

Comentários