‘Acabei com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no governo’, diz Bolsonaro

jair bolsonaro e sérgio moro
No mesmo dia, o ex-ministro Sérgio Moro mencionou tentativas de acabar com a operação (José Cruz/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, nessa quarta-feira (7), que “acabou” com a operação Lava Jato porque “não tem mais corrupção no governo”. A declaração foi feita em uma cerimônia de lançamento de medidas de desburocratização para a aviação civil. Horas depois, o ex-ministro Sérgio Moro falou sobre “tentativas de acabar” com a operação no Twitter (leia mais abaixo).

“É um orgulho, uma satisfação que eu tenho dizer a essa imprensa maravilhosa nossa que eu não quero acabar com a Lava Jato. Eu acabei com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no governo. Eu sei que isso não é virtude, é obrigação”, declarou o presidente da República.

“Essa imprensa que é muito importante para todos nós e que nós queremos a sua liberdade. Me acusam muitas vezes de ser autoritário, eu nunca propus o controle social da mídia, eu nunca propus projeto para combater fake news, se bem que eu sou quem mais sofre o que mais sofre com fake news”, completou Bolsonaro.

Bolsonaro x Moro

A operação Lava Jato foi muito elogiada pelo então candidato Jair Bolsonaro durante sua campanha à presidência. Quando eleito, ele chegou a chamar o então juiz Sérgio Moro, que atuava na operação, para ser o ministro da Justiça e Segurança Pública do governo.

Em abril deste ano, no entanto, Moro pediu demissão do cargo e acusou o presidente Jair Bolsonaro de tentar interferir politicamente na autonomia da PF (Polícia Federal). Segundo ele, Bolsonaro queria nomear alguém da confiança dele à direção-geral da PF “para colher relatórios e informações e até atender ligações” (relembre aqui).

O ex-ministro publicou no Twitter, nessa quarta-feira, uma mensagem em que menciona “tentativas de acabar com a Lava Jato”, que, segundo ele “representam a volta da corrupção”. “É o triunfo da velha política e dos esquemas que destroem o Brasil e fragilizam a economia e a democracia. Esse filme é conhecido. Valerá a pena se transformar em uma criatura do pântano pelo poder?”, escreveu Moro.

Edição: Vitor Fernandes
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários