Homem rasga pergaminho de R$ 1,7 bilhão por acreditar que era falso

pergaminho chinês rasgado
Item foi roubado de colecionador junto com vários outros objetos (Reprodução/The Guardian)

Um homem rasgou um pergaminho antigo avaliado em 230 milhões de libras esterlinas – o equivalente a R$ 1,7 bilhão – porque acreditou que se tratava de um item falso. O pergaminho, que foi roubado da casa de um colecionador e repassado ao homem, tinha a caligrafia do ex-líder chinês Mao Zedong. As informações são do The Guardian.

De acordo com a polícia, o pergaminho foi tirado da casa do colecionador, em Hong Kong, em um roubo multimilionário orquestrado por três invasores. O dono das peças roubadas estava em outra cidade, impedido de voltar para casa por causa da pandemia de Covid-19. As peças foram repassadas a outros compradores, que, segundo as autoridades, não desconfiaram da procedência.

Um deles, no entanto, desconfiou da autenticidade do pergaminho que havia adquirido e, para facilitar a exposição, já que acreditava não se tratar de uma peça original, resolveu rasgá-lo ao meio. “De acordo com nossa investigação, alguém achou que a caligrafia era muito longa”, disse Tony Ho, superintendente sênior do escritório de crime organizado da polícia, em entrevista coletiva na última terça (6).

“Era difícil mostrar o pergaminho, colocá-lo em exposição. Por isso, ele foi cortado ao meio”, completou o superintendente. Além do pergaminho, foram roubados 24 mil selos postais chineses e sete rolos de caligrafia. Ao todo, o colecionador estima que perdeu cerca de 645 milhões de dólares. Três suspeitos do crime já foram presos.

Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Escreve com foco na área de Guia e Cultura no BHAZ.

Comentários