Cinema e shows liberados! Kalil autoriza reabertura do setor cultural

Cinemark Sala de cinema comum
Salas de cinema serão liberadas com restrições (Agência Febre/Divulgação)

Belo Horizonte terá mais uma importante fase de reabertura ainda neste mês. É o que revelou o prefeito da cidade, Alexandre Kalil (PSD), em entrevista exclusiva ao BHAZ nessa quinta-feira (8). Cinemas, museus, teatros e shows – suspensos desde março – serão liberados a partir do dia 30. Os detalhes das normas para que esse segmento volte a funcionar na cidade serão divulgados no DOM (Diário Oficial do Município) até sábado (10).

Kalil concedeu entrevista exclusiva ao BHAZ em sabatina que o portal vai realizar com todos os 15 candidatos a assumir a PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) a partir de 2021. Todo o conteúdo da entrevista do concorrente à reeleição será publicado, em todos os canais do BHAZ, nos próximos dias. Fique atento!

Sobre a liberação de cinemas, museus, teatros e shows, Kalil adiantou que já existe um protocolo definido pela administração municipal que deve ser publicado até sábado, com o detalhamento das restrições que esse segmento sofrerá para minimizar o risco de contágio por Covid-19. Os setores seriam liberados para funcionar a partir do dia 30.

Kalil disse que a imprensa não será convocada para um anúncio, e que a decisão será anunciada por nota. “Vamos chamar a imprensa para falar coisa séria. Para anunciar que pretendemos abrir cinema com 30% [da capacidade] e que o protocolo está sendo feito, não vamos chamar a imprensa. Não vamos fazer da pandemia uma papagaiada”, disse o prefeito, que ainda adiantou que shows devem ser realizados apenas com pessoas sentadas e que há uma preocupação com o ar-condicionado dos cinemas.

Contramão

A liberação vai na contramão do que informou ao BHAZ, nessa quinta, o médico infectologista Unaí Tupinambás, uma das referências no tema em Minas e integrante do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da própria prefeitura. “Reabrir museus e galerias de arte pode ter pouco impacto porque você consegue controlar a entrada. Mas cinema nesse momento não dá para abrir”, afirmou o especialista.

“A gente está muito preocupado com o RT [taxa de transmissão]. Considerando que os bares e restaurantes reabriram no dia 4 de setembro, pode ser um reflexo disso. Felizmente ainda não impacta nas internações”, complementou. A taxa citada por Tupinambás está em alta na capital mineira: após praticamente um mês no verde, se consolidou no amarelo.

Natal fechado?

Os protocolos de reabertura da cidade seguem três índices de monitoramento: taxa de transmissão por infectado, ocupação de leitos de UTI e ocupação de leitos de enfermaria. De acordo com a prefeitura, índices baixos criam condições para a evolução da flexibilização e, na outra ponta, caso os indicadores mostrem números negativos, existe a possibilidade de retorno às fases anteriores (relembre mais aqui).

Caso o RT continue subindo, mesmo que os índices de ocupação de leitos permaneçam no nível verde, a cidade pode recuar nas flexibilizações. “Se o RT chega a 2, mas os outros índices verdes, mostra que, em duas semanas, tudo pode estar no vermelho. A taxa de transmissão pode mostrar o rápido o avanço da pandemia”, alerta Unaí.

“A grande maioria da população de BH e no mundo inteiro ainda é suscetível à infecção. Está muito tenso. Não sabemos o que vai acontecer daqui a um mês. Temos medo de tomar uma medida drástica no final do ano. A gente pede muito para população fazer a parte dela se não vamos colocar tudo a perder. As pessoas têm que entender que a pandemia ainda não acabou”, reforçou o médico.

Edição: Thiago Ricci
Rafael D'Oliveira
Rafael D'Oliveirarafael.doliveira@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde janeiro de 2017. Formado em Jornalismo e com mais de cinco anos de experiência em coberturas políticas, econômicas e da editoria de Cidades. Pós-graduando em Poder Legislativo e Políticas Públicas na Escola Legislativa.

Camila Saraiva
Camila Saraivacamila.saraiva@bhaz.com.br

Jornalista formada pela PUC-Minas em 2015. Pós-graduada em Jornalismo em Ambientes Digitais pelo Centro Universitário UniBH em 2019.

Comentários