Torcedores picham casa de ex-presidente do Cruzeiro: ‘Aqui mora um ladrão’

casa de ex-presidente do Cruzeiro pichada
Gilvan esteve à frente do Cruzeiro entre 2012 e 2017 (Reprodução/Twitter)

Decepcionados após mais uma derrota na Série B do Campeonato Brasileiro e no mesmo dia em que o Cruzeiro foi excluído definitivamente do Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro), torcedores cruzeirenses vandalizaram a casa de Gilvan de Pinho Tavares, ex-presidente do clube, na noite dessa quinta-feira (8).

Em imagens divulgadas nas redes sociais, os dizeres “Aqui mora um ladrão” aparecem pichados no portão da residência do ex-dirigente, que esteve à frente do Cruzeiro entre 2012 e 2017. Sua gestão foi marcada pela conquista de títulos como dois Campeonatos Brasileiros, em 2013 e 2017, e uma Copa do Brasil, em 2018, mas também pelas dívidas acumuladas.

Torcedores cruzeirenses apoiaram o ato de vandalismo contra o ex-presidente e os autores foram até chamados de “heróis”. Alguns, porém, defenderam que ex-dirigentes como Wagner Pires de Sá e Itair Machado deveriam ser o “foco” da torcida em momentos de protesto, e não só Gilvan de Pinho Tavares.

O Cruzeiro foi excluído definitivamente do Profut pois, segundo a Apfut (Autoridade Pública de Governança do Futebol), o clube não cumpriu os requisitos do programa e deixou pendências entre 2015 e 2019. Entre 2015 e 2017, a gestão era de Gilvan de Pinho Tavares. Já entre 2015 e 2019, quem presidiu o Cruzeiro foi Wagner Pires de Sá.

Edição: Marcela Gonzaga
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários