Vergonha sem fim: Cruzeiro perde no Mineirão e se afunda no Z4 da B

sassá cruzeiro sampaio corrêa derrota mineirão série b
Sassá sai cabisbaixo após mais uma derrota (Gledston Tavares/FramePhoto/Folhapress)

Por Jaynne Lamounier, especial para o BHAZ

Na semana em que BH registrou a maior temperatura da história, o Cruzeiro deu um banho de água fria na torcida na noite dessa quinta (8). Em mais um capítulo vexatório na história vitoriosa, o Cabuloso não conseguiu superar um concorrente direto no Z4 da Série B – Sampaio Corrêa – mesmo jogando no Mineirão. Pior do que não sair com os três pontos, a equipe celeste perdeu por 2 a 1 começa começam a se distanciar da saída da temida zona.

Com a derrota, os comandados de Ney Franco veem o Sampaio Correa se distanciar e abrir três pontos de vantagem. Para complicar ainda mais a situação azul, o time maranhense tem três jogos a menos – e pode abrir uma distância ainda maior. Resta ao Cruzeiro se recuperar contra o lanterna da divisão inferior do Brasileirão, o Oeste, no domingo (11), na Arena Barueri, no interior paulista.

Se já tá difícil completo…

O Cruzeiro atravessa a pior fase da história e, como se não bastasse, para que até os ventos estão desfavoráveis. O lateral-esquerdo Matheus Pereira, que vinha agradando nos últimos jogos, testou positivo para o coronavírus e ficou de fora da partida contra o Sampaio Corrêa. Giovanni assumiu a posição no confronto.

Além disso, Marcelo Moreno foi convocado para representar a seleção boliviana nas Eliminatórias da Copa do Mundo e desfalca o Cruzeiro por duas rodadas. Já o volante Jean e o zagueiro Léo seguem em tratamento de um edema ósseo no joelho.

Merecia um parabéns melhor

A Muralha Celeste, como Fábio é carinhosamente conhecido pela torcida, completou 900 jogos pelo Cruzeiro na partida de hoje e fez jus à história riquíssima construída no clube. E logo no começo do jogo o arqueiro mostrou o motivo de atingir uma marca tão rara. Após o volante André Luís cabecear logo aos 6, Fábio se esticou e evitou o gol adversário.

Como não são 11 Fábio’s…

Se um jogador da qualidade do Fábio também ocupasse as outras 10 posições, talvez a história fosse outra… Mas, como a realidade está bem distante, o alívio após a intervenção do arqueiro durou pouco – muito pouco. Aos 12, o lateral Luis Gustavo tocou para o Roney na área, que avançou a marcou o primeiro gol da partida para a equipe maranhense.

Quem é o mandante?

O Sampaio Corrêa saiu lá do Nordeste para enfrentar o Cruzeiro, mas dava pinta de que era o mandante da partida. Não bastasse ter saído na frente, a equipe maranhense passou a pressionar o time celeste com uma marcação alta. Os comandados do Cruzeiro ficaram com muita dificuldade de sair jogando, encurralados na área defensiva.

Olha a esperança!

Quando o torcedor já arrancava todos os cabelos e perdia qualquer paciência, apareceu a esperança! No fim da primeira etapa, aos 40 minutos, Filipe Machado cobrou falta e lançou a bola na área. O zagueiro Manoel desviou de cabeça e empatou o jogo. 1 a 1 e, por incrível que pareça, uma descida para o vestiário muito positiva para o Cruzeiro – o resultado podia ter sido bem pior.

Cadê a esperança?

É, mas a esperança proporcionada pelo gol de Manoel durou pouco. O 2T começou e logo deu pra ver que aquele desenho da primeira etapa continuaria: Sampaio Corrêa jogando como se o Mineirão fosse seu. E o Cruzeiro sem conseguir criar uma jogada perigosa sequer…

Desastre

Se por um lado o Cruzeiro não criava, o Sampaio Corrêa, por outro, fazia o dever de casa. Aos 13 do 2T, Pimentinha chegou com facilidade na área e tocou para Caio Dantas. O atacante da equipe maranhense finalizou com tranquilidade para marcar 2 a 1. A reação da torcida cruzeirense não poderia ser outra: ficou na bronca com a falta de marcação celeste.

Até tentou, mas…

No final do jogo, o Cruzeiro ainda tentou mudar o rumo do duelo. E até conseguiu chegar com perigo. A primeira aos 34, com Daniel Guedes, que cobrou uma falta que raspou na trave. Já a segunda, aos 37, também com o lateral, que cobrou escanteio e encontrou Manoel na área. Mas o zagueiro cabeceou pra fora. Por fim, aos 39, Thiago recebeu a bola de Sassá, mas, mesmo como goleiro adversário batido no lance, não conseguiu superar a defesa maranhense.

Mais uma derrota, a metade em 14 jogos disputados. Mais uma vergonha.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 1 SAMPAIO CORRÊA

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 8 de outubro de 2020
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Ricardo Bezerra Chianca (PE)

Cartões amarelos: Daniel Guedes, Henrique, Maurício (Cruzeiro); Roney, Gustavo, Luis Gustavo (Sampaio Corrêa)
Gols: Manoel, aos 39 minutos do primeiro tempo (Cruzeiro); Roney, aos 12 minutos do primeiro tempo; Caio Dantas, aos 13 minutos do segundo tempo (Sampaio Corrêa)

CRUZEIRO: Fábio; Daniel Guedes, Manoel, Ramon e Giovanni (Rafael Luiz); Henrique (Jadsom Silva), Filipe Machado (Claudinho) e Regis (Maurício); Airton, Arthur Caíke (Thiago) e Sassá.
Técnico: Ney Franco

SAMPAIO CORRÊA: Gustavo; Luis Gustavo, Joécio, Daniel Felipe e João Victor; André Luiz, Vinícius Kiss e Marcinho (Eloir); Roney (Diego Tavares), Pimentinha e Caio Dantas (Jackson).
Técnico: Léo Condé

Edição: Thiago Ricci

Comentários