‘Kenoite’! Com mais um show de Keno, Galo vence e desgruda de rivais

keno galo atlético goiás mineirão série a brasileiro
Keno, mais uma vez, foi fundamental para a vitória atleticana (Pedro Souza/Agência Galo/Atlético)

Por Beatriz Kalil Othero, especial para o BHAZ

É inegável: ninguém segura o Keno na atual fase (aqui e aqui). Com um gol, uma assistência e participação no terceiro tento, o atacante foi o nome da vitória do Galo por 3 a 0 sobre o Goiás nesta noite deste sábado (10), no Mineirão. Essa foi a 12ª vitória seguida do Atlético no Gigante da Pampulha. A sequência de triunfos é a maior do Galo no estádio, desde a reabertura do estádio em 2013.

A vitória atleticana fez com que os comandados de Jorge Sampaoli se desgrudasse dos perseguidores Flamengo e São Paulo, que também ganharam hoje. Na próxima rodada, o líder Atlético recebe o Fluminense no Mineirão, em Belo Horizonte, na quarta (14), às 21h30. Já o Goiás, lanterna na disputa, vai tentar a reação contra o vice-líder Flamengo no Maracanã, nesta terça, às 18h, pela 11ª rodada. O jogo havia sido adiado em agosto por conta de jogos pela Libertadores.

Adolescente em campo!

A partida começou morna, e só foi ganhar um lance perigoso aos 12 do 1T. E foi justamente de um adolescente, novidade de Sampaoli. O atacante atleticano Sávio, de apenas 16 anos, “cria” da base, mostrou personalidade: passou no meio de dois marcadores, chutou rasteiro e a bola foi para a linha de fundo.

Pouco depois, aos 15, Sávio recebeu lançamento de Keno, pegou forte de primeira e Tadeu espalmou para escanteio. Aos 20, a terceira tentativa do garoto parou no goleiro do time goiano: o atacante chutou de dentro da área à queima roupa, e Tadeu defendeu de barriga.

Abafa alvinegro

E o Galo continuava pressionando, sem deixar o Goiás aparecer: aos 22, depois de erro da zaga goiana, Keno roubou a bola, chutou de fora uma bola perigosa, e Tadeu novamente foi buscar. O domínio atleticano já era nítido com apenas 23 minutos de jogo, quando o time alvinegro somava 9 finalizações, e a equipe goiana, que só se defendia, ainda não havia chutado a gol.

Ninguém segura o Keno

O jogo voltou a esfriar um pouco, mas, quando a primeira etapa caminhava para o final, aos 39 do 1T, Keno deixou Sasha na cara do gol, e o atacante foi derrubado pelo goleiro do time goiano: pênalti para o Galo. Keno bateu forte no canto direito, sem chances para Tadeu, que caiu para o lado esquerdo, e abriu o placar para o time da casa.


Olha ele de novo!

Já nos acréscimos, aos 46, o Galo ainda achou tempo para ampliar a vantagem: depois de cruzamento perfeito de Keno na esquerda, Nathan cabeceou sozinho na área, direto para o gol. Após o apito do árbitro Vinícius Gonçalves, o atacante Rafael Moura – o He-Man – chamou a equipe goiana para a conversa, dando uma bronca para tentar motivar os companheiros a reagir no segundo tempo do jogo.

Pressão goiana

O segundo tempo começou com o Goiás tentando investir: logo aos 2 minutos, o volante Breno invadiu a área, cruzou rasteiro, mas o goleiro Everson estava esperto e agarrou. Aos 10 do 2T, a equipe visitante quase diminuiu com Juan Pintado. O lateral recebeu um cruzamento de Rafael Moura e cabeceou nas mãos do arqueiro alvinegro. Outra cabeçada perigosa veio aos 23, com o mesmo He-Man: depois de boa bola de Heron, ele mandou para o gol, mas Everson foi buscar.

Tirou o pé do acelerador

Durante o segundo tempo, o Galo administrou a vitória, chamando o Goiás para o jogo – tanto que a equipe visitante só foi ameaçar o gol de Everson na etapa final. O lance mais perigoso do clube alvinegro no 2T veio aos 41: Fábio Santos entregou de letra para Keno, que chutou na trave.

Kenoite!

E, mesmo menos intenso no 2T, o Galo de Sampaoli não perde de jeito nenhum a ofensividade: aos 41, depois de jogadaça de Keno, ele rolou para Marrony, que finalizou em cima da zaga, mas no rebote, mandou para as redes: 3 a 0 para o Galo.


E, por pouco, o quarto não veio! No último lance do jogo, aos 49, o lateral Guilherme Arana chutou dentro da área e Tadeu espalmou. No rebote, Keno tenta fazer seu segundo no jogo, mas o goleiro foi buscar. Na noite belo-horizontina, mais uma vitória para o líder Atlético, agora com 30 pontos – e com 3 à frente do vice-líder Flamengo.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 3 X 0 GOIÁS

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 10 de outubro de 2020, sábado
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)

Cartões amarelos: Pintado (Goiás)
Gols: Keno, aos 41 minutos do primeiro tempo; Nathan, aos 46 minutos do primeiro tempo; Marrony, aos 46 minutos do segundo tempo (Atlético)

ATLÉTICO: Everson, Guga, Réver, Igor Rabello e Guilherme Arana; Jair (Borrero), Nathan (Allan) e Hyoran (Fábio Santos); Sávio (Maílton), Keno e Eduardo Sasha (Marrony).
Técnico: Jorge Sampaoli

GOIÁS: Tadeu; Pintado, Fábio Sanches, David Duarte (Miguel Figueira) e Jefferson (Caju); Breno, Gilberto (Heron) e Daniel Bessa; Shaylon (Keko), Rafael Moura e Vinícius.
Técnico: Enderson Moreira

Edição: Thiago Ricci

Comentários