Já? Tempo fecha em BH e assusta moradores, mas chuva ‘passa voando’

chuva vista prédios bh sábado
Céu escureceu em BH e a chuva passou rápido (Reprodução/@EveraldoCas/Twitter + Vitor Fernandes/BHAZ)

O tempo fechou no fim da tarde deste sábado (10) em Belo Horizonte. O céu ficou escuro, a ponto de ser confundido com o início da noite, e parecia que uma chuva forte atingiria a capital mineira. Mas, como os mais jovens gostam de dizer, flopou (fracassou, em inglês). A água do céu não durou nem 15 minutos direito – mas a Defesa Civil alerta para pancadas até o início da manhã de domingo (11).

“Muito vento e raios na região Dona Clara, Santa Rosa e Jaraguá”, informou o morador Leonan Flores. “Aqui no Vale do Jatobá, muito vento raios, mas a chuva foi pouca, refrescou nada só muita sujeira”, lamentou Alice Resende Silva Coelho. “Aqui, barulho, vento. Chuva mesmo, pouca”, resumiu Moema Canedo.

BH sofre a onda de calor há dias. No último sábado (3), registrou simplesmente o dia mais quente da história. Ontem, Divinópolis, cidade a cerca de 130 km da capital mineira, que enfrentava uma estiagem há três meses, recebeu uma tempestade que espalhou estragos. Mas, ao menos até o início da noite de hoje, a força vista por lá passou longe de Belo Horizonte.

De qualquer forma, a Defesa Civil emitiu alerta sustentando que pancadas de chuva podem ocorrer na capital mineira até a manhã de domingo. “Possibilidade de pancada chuva (20 a 30 mm) com raios e rajadas de vento em torno de 50 km/h até 8h de domingo (11)”, afirmou.

Caso a previsão se concretize, fique atento às orientações:

  • Não atravesse ruas alagadas ou deixe crianças brincando na enxurrada e nas águas dos córregos.
  • Não se abrigue nem estacione veículos debaixo de árvores.
  • Atenção especial em áreas de encostas e morros.
  • Jamais se aproxime de cabos elétricos rompidos. Ligue imediatamente para CEMIG (116) ou Defesa Civil (199).
  • Se você observar o aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e o surgimento de minas d’água avise imediatamente a Defesa Civil (199).
  • Em caso de raios: não permaneça em áreas abertas e altas, não use equipamentos elétricos.

‘Vem, chuvinha’

Justamente pelo calor (quase) insuportável, os belo-horizontinos viram o céu escuro e logo ficaram animados com um possível refresco. “Esperando a chuva chegar. 🙏🏻”, publicou no Twitter Lucas Franco. “E não é que a chuva chegou em BH!!!! #chuva”, escreveu outro.

Mas logo a expectativa virou decepção para alguns moradores… “E depois de 12 min 40 seg e 3 milésimos , acabou a chuva em BH”, ironizou um residente da capital mineira.

Divinópolis

Na cidade da região Centro-Oeste de Minas, a tempestade foi violenta. A Defesa Civil local estima que vai precisar de três dias para minimizar os problemas. Árvores de grande porte violentamente arrancadas, partes de edifícios levadas, desabamentos, falta de luz e uma ventania assustadora.

“Divinópolis foi atingida por fortes chuvas e ventania que quase nunca foi vista por aqui. Danificou parte da nossa cidade, muitas árvores, galhos caindo em cima de muros, como no cemitério do Centro: uma árvore quebrou o muro”, afirmou ainda ontem, durante live no Instagram da prefeitura, o prefeito Galileu Teixeira Machado.

Ao BHAZ, o tenente do Corpo de Bombeiros Henrique Tahdeu informou que só ontem foram atendidas 27 ocorrências durante a chuva. Hoje, a corporação já tem outras 35 demandas relacionadas ao estrago causado pela tempestade.

Em um dos vídeos gravados e disseminados pelas redes sociais, é possível ver a violência da ventania. Pessoas que estavam debaixo de uma marquise mostram uma moto derrubada pela tempestade, além de estruturas destruídas. “Que isso, mano, que doideira”, fala um homem. Veja:

Thiago Ricci
Thiago Riccithiago.ricci@bhaz.com.br

Editor-executivo do BHAZ desde agosto de 2018, cargo ocupado também entre 2016 e 2017. Jornalista pós-graduado em Jornalismo Investigativo, pela Abraji/ESPM. Editor-chefe do SouBH entre 2017 e 2018; correspondente do jornal O Globo em Minas Gerais, entre 2014 e 2015, durante as eleições presidenciais; com passagens pelos jornais Hoje em Dia e Metro, TVs Record e Band, além da rádio UFMG Educativa, portal Terra e ONG Oficina de Imagens. Teve reportagens agraciadas pelos prêmios CDL, Délio Rocha, Adep-MG e Sindibel.

Comentários