Gravações de Robinho sobre acusação de estupro são reveladas: ‘Nem aí’

Robinho em treino no santos
Jogador foi contratado recentemente pelo Santos (Ricardo Saibun/Santos FC)

Durante o julgamento de Robinho, no caso de violência sexual que transcorreu na Justiça italiana, foram utilizadas gravações telefônicas. As conversas, ouvidas por meio de interceptação, foram reveladas pelo Globo Esporte, nesta sexta-feira (16). Com os amigos, Robinho confirma que sabia da condição da vítima.

As gravações foram parte crucial da decisão que condenou o jogador e um amigo, em primeira instância, a nove anos de prisão, em novembro de 2017. A sentença não é definitiva e já está sendo contestada em recursos apresentados pelos advogados de defesa de Robinho e de Ricardo Falco.

O que Robinho disse

Nas gravações, feitas com a autorização da Justiça, Robinho e Falco conversam sobre a noite da suposta violência sexual. “Naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si”, disse Falco. “Sim”, respondeu o atleta.

Em outra conversa, com o músico Jairo Chagas, que informou Robinho sobre a investigação, o jogador reafirma o conhecimento sobre a situação da jovem. “Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu”, disse. “Eram cinco em cima dela”, relembrou em outro trecho gravado pela Justiça.

Ao ser questionado pelo músico, que tocou na boate na noite em questão, se havia transado com a mulher, Robinho disse que não, mas que havia tentado. O homem, então, afirmou que viu o jogador colocar o pênis na boca da jovem. “Isso não significa transar”, justificou.

O caso

O caso aconteceu em uma boate de Milão, em janeiro de 2013. Além de Robinho e Falco, outros quatro brasileiros teriam participado no ato com a jovem, segundo a Justiça italiana. Esses outros homens estão sendo julgados em um processo separado.

Segundo a vítima, a violência sexual teria acontecido no camarim utilizado pelo músico Jairo Chagas. Ela contou que foi à boate convidada por um dos amigos de Robinho. Em seguida, ela disse que ficou muito embriagada e foi levada para o camarim por um amigo do jogador, que tentava beijá-la a força. Lá, os outros homens envolvidos teriam aparecido e se aproveitado que a moça não conseguia ficar em pé e estava muito desorientada.

Em 2014, Robinho negou a acusação de estupro. O jogador alegou que teve relação sexual com a vítima, mas que teria sido consensual e sem o envolvimento de outros. A perícia encontrou sêmen de Ricardo Falco nas roupas da jovem.

Edição: Aline Diniz
Guilherme Gurgel
Guilherme Gurgelguilherme.gurgel@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários