Só Felipão salva? Cruzeiro estaciona na vice-lanterna da B após empate

fábio defende pênalti cruzeiro juventude mineirão
Fábio salva o Cruzeiro de novo – mas não está sendo o suficiente (Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Por Jaynne Lamounier, especial para o BHAZ

Faça calor ou faça frio, a fase da Raposa segue a mesma. Na noite desta sexta (16), a equipe celeste – comandada pelo interino Célio Lúcio – empatou sem gols, dentro do Mineirão, com o Juventude. O resultado mantém o Cruzeiro no Z4, na vice-lanterna da Série B, e a distância para concorrentes na parte inferior da tabela aumenta cada vez mais. O torcedor, por sua vez, se agarra à esperança de ver mudança com Felipão, novo treinador anunciado na quinta.

Os agora comandados por Felipão têm como próximo compromisso o duelo, fora de casa, contra o Operário, do Paraná. A equipe do Sul do país ocupa a parte de cima da tabela – é hoje o 8º do campeonato. A partida será disputada na próxima terça-feira (20), às 21h30. Já o Juventude continua na briga pelo G4, mas viu a Ponte Preta e o América se distanciarem – o time catarinense pega o Avaí também na terça.

Luz no fim do túnel?

A situação é dramática, incompatível com a história vitoriosa do Cruzeiro. Mas, depois de muito tempo apenas observando a derrocada, o torcedor viu uma movimentação interessante nesta semana. Após a demissão de Ney Franco, a diretoria anunciou o ex-técnico da Seleção Brasileira, campeão do mundo, Luiz Felipe Scolari. Além disso, o clube quitou três dívidas importantes relativas aos jogadores Willian e Ramón Ábila – além da comissão técnica de Paulo Bento.

Enquanto isso… Fábio de novo!

Deixando a esperança – e perspectiva – de lado, o torcedor já começou a partida sofrendo. Isso porque, aos 6 minutos de jogo, Renato Cajá cobrou uma falta pela direita e o lateral Rafael Luiz interceptou com o braço. O juizão marcou pênalti para desespero cruzeirense. Massss… Não é à toa que Fábio é o maior ídolo hoje no clube. O próprio Renato Cajá foi pra cobrança e o goleirão azul espalmou, salvando a equipe celeste bem no início do confronto.

Posse estéril

Ao contrário do último adversário dentro de casa, o Sampaio Corrêa, o Juventude adotou uma linha baixa de marcação. Então, em vez de ter sido pressionada pelo rival, a equipe azul passou mais tempo com a bola nos pés desta vez. Mas isso, na atual fase do Cruzeiro, não quer dizer necessariamente uma boa notícia: ficou evidente a falta de criatividade para furar a barreira gaúcha.

Chuva de quê?

O cruzeirense que observava pela janela a noite chuvosa em BH esperava, lógico, uma chuva de gols celestes no Mineirão. Mas não foi isso que ocorreu. Na verdade, a partida teve uma chuva de infrações. Só na etapa inicial, foram 16 faltas: 11 cometidas pelo Cruzeiro e 5 pela equipe do Juventude. Dessas, quatro resultaram em cartões amarelos, dois para cada lado.

GOOOL? #SQN

Não bastasse encarar a fase vergonha, o cruzeirense ainda teve de enfrentar uma “pegadinha”. Isso porque, aos 8 do 2T, Régis finalizou de dentro da área e o goleiro Marcelo Carné ficou só olhando. A bola parecia morrer no fundo das redes, quando Eltinho, lateral do Juventude, surgiu. O atleta tirou a bola em uma bicicleta e frustrou o grito de gol entalado na garganta do torcedor do Cruzeiro.

Pouco tempo depois, aos 14, de novo ele: Régis! O meio-campista recebeu a bola na entrada da área, chapelou o zagueiro Augusto e finalizou de primeira de cara com o goleiro. Lance inspiradora, mas a bola subiu demais e foi pra fora. Quando a fase tá ruim, o jeito é tirar uma do próprio momento: pois parte da torcida cruzeirense resolveu brincar com o lance, relembrando o golaço marcado pelo Everton Ribeiro contra o atual time, Flamengo, em 2013.

‘Tava ruim, tava bom, mas’…

No estilo do conhecido meme, o Cruzeiro fez um 1T decepcionante e melhorou na etapa final – mas não o suficiente para encerrar a sequência de quatro partidas sem vitória. Aos 27 do 2T, Ramón finalizou no cantinho, mas o goleirão evitou o gol. E foi só: mais uma rodada sem vitória e mais um motivo de preocupação para o cruzeirense.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO X JUVENTUDE

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 15 de outubro de 2020
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Marcio Gleidson Correia Dias (PA) e Helcio Araujo Neves (PA)
Cartões amarelos: Ramon, Daniel Guedes, Jadsom Silva e Régis (Cruzeiro); João Paulo e Wagner (Juventude)

CRUZEIRO: Fábio; Rafael Luiz, Manoel, Ramon (Jadson), Cacá e Daniel Guedes; Jadsom Silva, Maurício e Regis (Welinton); Airton e Sassá (Marcelo Moreno)
Técnico: Célio Lúcio (interino)

JUVENTUDE: Marcelo Carné; Wellington Silva (Augusto), Wellington, Bareiro e Eltinho; Gustavo Bochecha, João Paulo, Renato Cajá (Rafael Silva) e Wagner (Gabriel Terra); Dalberto e Capixaba (Wallace Tarta)
Técnico: Pintado

Edição: Thiago Ricci

Comentários