‘Eu matei os neurônios do meu filho’: Repórter alerta sobre doença rara

larissa carvalho filho théo
Larissa defende o Teste do Pezinho Ampliado, que poderia ter ajudado Théo (Reprodução/Instagram/@jornalistalarissacarvalho)

A jornalista Larissa Carvalho, da Globo Minas, tem sensibilizado pessoas em diferentes localidades no Brasil com uma campanha que pode ajudar a mudar vidas. Mãe de dois garotos, Théo (4) e João (15), ela defende o Teste do Pezinho Ampliado na rede pública de saúde de todo o país. E falou recentemente em um vídeo da TEDx Talks sobre o assunto. “Eu matei os neurônios do meu filho”, declara a repórter em um trecho.

Larissa tem propriedade para falar do assunto: o filho mais novo dela, Théo, foi diagnosticado com acidúria glutárica, uma doença rara do metabolismo que o torna intolerante a proteínas. Sem saber da condição, o garoto ingeriu as substâncias durante um ano e 10 meses – o que matou neurônios dele, provocando perda de movimentos e da fala.

Caso a doença fosse identificada no Teste do Pezinho, Théo e outras milhares de crianças poderiam estar saudáveis. O exame pode identificar alterações no sangue do bebê e indicar doenças graves hereditárias. Para controlar a condição, agora, Théo tem uma alimentação restrita que não pode ultrapassar 10 gramas de proteína por dia.

‘Matei os neurônios do meu filho’

Recentemente, Larissa concedeu uma entrevista para o
TEDx Talks
, em parceria com a PUC Minas. O vídeo da participação em que ela fala sobre os desafios junto aos filhos foi publicado na segunda-feira.

No registro, a jornalista conta que sonhava ser mãe e que já tinha escolhido os nomes dos filhos antes mesmo de engravidar. No entanto, a condição de Théo a fez descobrir novas perspectivas sobre a maternidade e as crianças.

“Em algum momento, uma página desse meu conto de fadas foi trocada. Os meus meninos vieram. O meu João tem 15 anos, o meu Théo tem 5. Mas a gente nunca correu junto, a gente nunca chutou uma bola os três juntos. E não iremos: o Théo não senta, não anda e não fala”, diz Larissa no vídeo.

A repórter ainda explica que Théo nasceu saudável e teve alta dois dias depois. “Eu exalava felicidade, até que lá pelo quinto mês o impensável começou a acontecer: o Théo era um bebê mole demais, ele não firmava a cabeça, nunca chupou o pé, não segurava um brinquedo. Parecia um brinquedo de pano”, relata a mãe do garoto no vídeo.

Foi então que ela levou o filho a uma pediatra, que a alertou: “acho que você tem que preparar o seu coração”. E uma ressonância foi a responsável por mostrar que o menino perdeu neurônios e teve uma paralisia cerebral. “Os médicos descobriram que o que estava matando o meu filho era comida, e era comida boa”, explica a jornalista.

Assista ao vídeo na íntegra em que Larissa fala sobre a condição de Théo e defende o Teste do Pezinho Ampliado:

Roberth Costa
Roberth Costaroberth.costa@bhaz.com.br

Editor do BHAZ desde junho de 2018 e repórter desde 2014. Participou do processo de criação do portal no ano de 2012. É formado em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Promove de Belo Horizonte e tem como foco a editoria de Cidades.

Comentários