Casal de idosos é encontrado morto na própria cama em Contagem

simão simônidas brasil rocha marlene viatura pm
Simão ao lado de Marlene (Reprodução/@marcelo.melo.16/Facebook + Amanda Dias/BHAZ)

Um casal de idosos foi encontrado morto dentro da própria residência, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, nessa quarta-feira (21). Foi ventilada, por familiares, a possibilidade de tratar-se de um latrocínio – roubo seguido de assassinato -, mas as autoridades afirmam que os indícios apontam para outra linha: o homem teria assassinado a esposa e se matado em seguida.

Os corpos foram encontrados por um sobrinho do casal. Ele tinha sido avisado por vizinhos que os tios não atendiam aos chamados desde as primeiras horas do dia, o que era incomum. Quando chegou à residência, no bairro Novo Eldorado, o sobrinho observou que uma das portas estava destrancada, entrou e se deparou com os cadáveres em cima da cama do quarto do casal.

O corpo de Marlene Maria de Jesus Rocha, de 69 anos, estava enrolado em um cobertor e apresentava duas perfurações feitas por arma de fogo. Ao seu lado, Simônidas Brasil de Souza Rocha, 64, também morto com uma perfuração no meio do tórax. Um revólver calibre 38 foi encontrado ao lado de Simônidas, conhecido como Simão, com três cartuchos deflagrados. A arma, sempre conforme a polícia, estava registrada no nome dele.

“A linha investigativa aponta, inicialmente, que o suspeito atirou duas vezes contra a vítima e, em seguida, se matou com um tiro no peito. Não há sinais de arrombamento na casa e os telefones celulares estavam dentro da residência. Um inquérito policial foi instaurado para apurar as circunstâncias das mortes”, afirma a Polícia Civil, por nota (leia na íntegra abaixo).

Comoção

O sobrinho que encontrou os corpos afirmou aos militares que o casal não tinha filhos, morava sozinho e não tinha histórico de violência. Ele nem sabia que o tio possuía uma arma de fogo. Um primo distante, inclusive, publicou uma homenagem a Simão reforçando que era uma pessoa sorridente e sempre simpática.

“Às vezes as vidas das pessoas terminam de uma forma tão trágica, e foi assim com o amigo e primo em 3º grau, Simônidas Brasil Rocha, popular Simão, 63 anos, e sua esposa Marlene. Simão é monlevadense da gema. Encontrávamos pouco, mas sempre ele com um sorriso, uma boa prosa e sua simpatia, que lhe era peculiar. E gostava de uma cervejinha”, afirmou Marcelo Melo, em trechos de publicação no Facebook.

“O casal não deixou filhos. Muito triste que Deus conforte seus familiares e amigos. Um cara do bem, assim como devia ser sua esposa, que não tive o prazer de conhecer. Descansem em paz!”, finaliza. “Meus sentimentos a toda família, foi um vizinho muito carinhoso, nossa rua 16 em luto”, escreveu Conceição Marcelino.

Uma notícia muito triste!Às vezes as vidas das pessoas terminam de uma forma tão trágica, e foi assim com o amigo e…

Posted by Marcelo Melo on Wednesday, October 21, 2020

Nota da Polícia Civil na íntegra

“A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informa que, assim que tomou conhecimento dos fatos, a perícia foi acionada e compareceu ao local para fazer os primeiros levantamentos. Foi constatado que houve um homicídio consumado. A linha investigativa aponta, inicialmente, que o suspeito atirou duas vezes contra a vítima e, em seguida, se matou com um tiro no peito. Não há sinais de arrombamento na casa e os telefones celulares estavam dentro da residência. Um inquérito policial foi instaurado para apurar as circunstâncias das mortes”.

Thiago Ricci
Thiago Riccithiago.ricci@bhaz.com.br

Editor-executivo do BHAZ desde agosto de 2018, cargo ocupado também entre 2016 e 2017. Jornalista pós-graduado em Jornalismo Investigativo, pela Abraji/ESPM. Editor-chefe do SouBH entre 2017 e 2018; correspondente do jornal O Globo em Minas Gerais, entre 2014 e 2015, durante as eleições presidenciais; com passagens pelos jornais Hoje em Dia e Metro, TVs Record e Band, além da rádio UFMG Educativa, portal Terra e ONG Oficina de Imagens. Teve reportagens agraciadas pelos prêmios CDL, Délio Rocha, Adep-MG e Sindibel.

Comentários