Vinho mineiro conquista medalha de ouro em concurso de qualidade

vinho tinto epamig
Vinhos produzidos pela Epamig podem ser comercializados pelo empório da empresa (Kelly Brito/Agência Minas)

O vinho mineiro Syrah recebeu medalha de ouro no Brazil Wine Challenge 2020, evento realizado entre os dias 13 e 15 de outubro em Bento Gonçalves, cidade do Rio Grande do Sul conhecida pela tradição em vinícolas. O concurso contou com a participação de 774 amostras de 16 países diferentes – e possui a chancela da Organização Internacional do Vinho e da Vinha (OIV) e da União Internacional de Enólogos (UIOE).

O vinho Syrah é marca própria da Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais), do Governo de Minas. A avaliação dos vinhos foi feita em provas às cegas, de acordo com as normas internacionais, por uma comissão composta por 57 degustadores vindos de diferentes regiões do Brasil, da Bolívia, do Chile, da França e da Itália.

Além do Syrah Epamig, vinhos das vinícolas Bramasoli, Casa Geraldo e Casa Verrone, que empregam a metodologia da dupla poda da empresa, também receberam medalha de ouro.

E pra quem adora um vinho de qualidade, mais uma boa notícia. O produto foi engarrafado no segundo semestre de 2019 e já vem sendo comercializado nos empórios Epamig em Belo Horizonte e Juiz Fora e no Campo Experimental da Epamig em Caldas. Clique aqui para saber mais sobre as unidades – e como comprar o premiado vinho.

‘Vinho macio’

Esta foi a primeira participação da Epamig em concursos de qualidade. “A ideia da inscrição surgiu em decorrência do potencial verificado nesse vinho, que apresenta uma coloração muito boa, vermelho rubi com boa profundidade, límpido e brilhante. É aromático, frutado, mas também com notas de especiarias e leve couro. Na boca, é um vinho macio, com boa estrutura, taninos maduros, acidez agradável, bom corpo e potencial para envelhecimento”, avalia a enóloga Isabela Peregrino, responsável técnica pelo produto.

O vinhedo institucional da Epamig foi implantado em 2010 no Campo Experimental de São de Sebastião do Paraíso. “A altitude de 900 metros permite a condução do parreiral sob o manejo de dupla poda. Algo que não conseguiríamos no Campo Experimental de Caldas que está localizado a 1.150 metros e tem como característica o inverno rigoroso demais”, explica Isabela, acrescentando que a produção das mudas e o processamento das uvas acontecem na vinícola Experimental da Empresa em Caldas.

Safra

O vinho premiado é da safra de 2018, com colheita das uvas e elaboração no segundo semestre daquele ano. “Os tratos culturais do vinhedo foram conduzidos de acordo com manejo comercial em dupla poda, sendo uma poda de formação de ramos em agosto de 2017 e uma poda de frutificação em janeiro de 2018, e colheita manual”, destaca Isabela.

Com Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Thiago Ricci
Thiago Riccithiago.ricci@bhaz.com.br

Editor-executivo do BHAZ desde agosto de 2018, cargo ocupado também entre 2016 e 2017. Jornalista pós-graduado em Jornalismo Investigativo, pela Abraji/ESPM. Editor-chefe do SouBH entre 2017 e 2018; correspondente do jornal O Globo em Minas Gerais, entre 2014 e 2015, durante as eleições presidenciais; com passagens pelos jornais Hoje em Dia e Metro, TVs Record e Band, além da rádio UFMG Educativa, portal Terra e ONG Oficina de Imagens. Teve reportagens agraciadas pelos prêmios CDL, Délio Rocha, Adep-MG e Sindibel.

Comentários