Galo escorrega de novo e perde outra chance de reassumir a liderança

jair patric atlético galo sport campeonato brasileiro
Jair e Patric, ex-Galo, disputam a bola (Gledston Tavares/FramePhoto/Folhapress)

O Galo bem que tentou. Foram 26 finalizações alvinegras com três do rival da noite deste sábado (24), o Sport. Mas, como diz a famosa canção, “bola na trave não altera o placar”. Resultado: 0 a 0 e mais uma decepção para o atleticano que se empolgou com o início de campeonato. Nos últimos cinco jogos, a equipe venceu apenas um, desperdiçou 10 pontos e vê a liderança ficar mais distante.

Mesmo sem aproveitar mais uma chance de reassumir a ponta da tabela, os comandados de Sampaoli ainda estão no pelotão da frente, composto por mais dois times – Inter e Flamengo. Na próxima rodada, a última do primeiro turno, o Galo visita o Palmeiras no Allianz Parque, em São Paulo, na segunda-feira (2), às 17h – portanto, muito tempo para treinar. Já o Sport, 11º na tabela, recebe o Athletico-PR na Ilha do Retiro, em Recife, no domingo (1º), às 16h.

Galo tenta…

O jogo começou com o Galo tentando furar o bloqueio do Leão, que já recuava todos os jogadores logo nos primeiros minutos da partida. A bola praticamente não saía da intermediária do clube pernambucano, com a insistência do time da casa: aos 18 do 1T, o Atlético tinha 68% de posse de bola, contra 32% do Sport. Porém, mesmo com a superioridade, a primeira chance de perigo no jogo foi apenas aos 19, quando Keno pegou de primeira na entrada da área, e a bola foi nas mãos de Luan Poli.

… e Luan Poli evita

Depois, o jogo voltou a esfriar, e o placar quase foi aberto aos 41 do 1T, com um chutaço rasteiro de Savarino, para grande defesa de Luan. Logo depois, em outra investida atleticana, Jair passou para Keno, que soltou uma bomba: de novo, o goleiro foi buscar, salvando o rubro-negro. No último lance do 1T, aos 47, depois de um erro da zaga, Keno ficou cara a cara com Luan Poli, chutou forte, mas o goleiro rival, de novo, espalmou. Na primeira etapa, foram 14 finalizações do Galo e nenhuma do Leão, mas o técnico Sampaoli não estava gostando do 0 a 0 no placar, e foi para o vestiário bastante agitado.

Ele de novo – e o travessão

O Galo voltou para a etapa final com ainda mais sede pelo gol: aos 12, no bate-rebate, o time alvinegro parou duas vezes no goleiro Luan Poli: ele defendeu o chute de carrinho de Franco e, na sequência, o rebote de Keno. Um minuto depois, em novo ataque, a forte cabeçada de Sasha não parou em Luan Poli desta vez, e sim, no travessão. Outro lance perigoso veio aos 24, quando o estreante argentino Matías Zaracho pegou de chapa na entrada da área, e Luan agarrou.

Ferrolho pernambucano

No segundo tempo, a superioridade do Atlético continuou, e o Sport permanecia jogando pelo contra-ataque, em busca de uma bola certeira. Porém, a qualidade do ataque não era a mesma da marcação, e o clube não conseguia criar jogadas ofensivas com o meia Thiago Neves, que quase veio para o Atlético há algumas semanas. E, aos 37 do 2T, chegou a primeira finalização do Sport no jogo (pasmem!): o zagueiro Júnior Tavares cobrou falta, e a bola passou um pouco acima do travessão.

Perdeu o gás

Nos últimos minutos do jogo, depois de tanto tentar o gol, o cansaço do time atleticano já era nítido, e a equipe fatalmente diminuiu sua intensidade. O árbitro deu 6 minutos de acréscimo – e nem isso bastou para a equipe fazer um gol tão importante, que deixaria o Galo na liderança provisória do campeonato.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 0 X 0 SPORT

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 24 de outubro de 2020, sábado
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior
Auxiliares: Rafael Trombeta e Victor Hugo Imazu dos Santos
VAR: Heber Roberto Lopes

Cartões amarelos: Jorge Sampaoli, Keno (Atlético)

ATLÉTICO: Everson; Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Jair, Alan Franco (Matías Zaracho) e Nathan; Savarino, Keno e Eduardo Sasha (Marrony).
Técnico: Jorge Sampaoli

SPORT: Luan Polli; Patric, Rafael Thyere, Adryelson e Raul Prata (Júnior Tavares); Chico, Márcio Araújo (Ronaldo Henrique), Ricardinho (Marcos Serrato), Lucas Mugni e Thiago Neves (Marquinhos); Leandro Barcia.
Técnico: Jair Ventura

Edição: Thiago Ricci
Beatriz Kalil Othero
Beatriz Kalil Otherobeatrizkof@gmail.com

Mineira de BH, graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre os jogos dos times mineiros como repórter freelancer para o BHAZ.

Comentários