‘A ajuda das pessoas evitou o pior’: Mexicana é encontrada em BH

ana edith desaparecida mexicana planalto
Ana Edith Hernandez Vazquez desapareceu no bairro Planalto, em BH (Arquivo pessoal/Diego de Jesus Hernandez Jimenez)

“Não sei se teria um desfecho feliz se ela ficasse mais uma noite fora de casa, a ajuda das pessoas evitou o pior”. A frase ilustra a gratidão de Diego de Jesus Hernandez Jimenez, pai da estudante mexicana que havia desaparecido em Belo Horizonte na última quinta-feira (22). Graças à mobilização de milhares, Ana Edith Hernandez Vazquez, 19, foi reencontrada com saúde na Zona Norte da capital mineira.

“Ela foi ajudada por um morador de rua. Ele fez algum comentário sobre ela dentro de uma padaria e uma pessoa que estava por perto ouviu. Graças à divulgação intensa, essa pessoa ligou os pontos e nos avisou”, conta Diego Jimenez ao BHAZ. O homem afirma que um grande grupo de voluntários foi formado desde sexta à noite. “O grupo se multiplicou hoje, com toda a divulgação”.

Os voluntários, então, fizeram uma espécie de cordão no perímetro do ponto onde ela tinha sido encontrada. “Dezenas de pessoas se mobilizaram e fizeram uma rede humana. Passamos em vários locais, fazendo perguntas para diversas pessoas e, enfim, a encontramos na avenida Pedro I no meio da tarde”, relata o pai da jovem.

“Encontramos ela na rua mesmo, em um ponto onde ela estava se abrigando, de certa forme. Está bem graças a Deus, não tem nenhum ferimento, um pouco desorientada, mas bem. Ela recebeu atendimento médico. E a divulgação foi essencial para encontrá-la. A mobilização foi o que possibilitou o final feliz”, finaliza.

Thiago Ricci
Thiago Riccithiago.ricci@bhaz.com.br

Editor-executivo do BHAZ desde agosto de 2018, cargo ocupado também entre 2016 e 2017. Jornalista pós-graduado em Jornalismo Investigativo, pela Abraji/ESPM. Editor-chefe do SouBH entre 2017 e 2018; correspondente do jornal O Globo em Minas Gerais, entre 2014 e 2015, durante as eleições presidenciais; com passagens pelos jornais Hoje em Dia e Metro, TVs Record e Band, além da rádio UFMG Educativa, portal Terra e ONG Oficina de Imagens. Teve reportagens agraciadas pelos prêmios CDL, Délio Rocha, Adep-MG e Sindibel.

Comentários