Aflição! Cruzeiro não se desgarra do Z4 ao empatar com o Náutico

marquinhos gabriel cruzeiro náutico aflitos série b
Marquinhos Gabriel tenta se desvencilhar de marcador (Marlon Costa/Futura Press/Folhapress)

Por Jaynne Lamounier, especial para o BHAZ

Mais um confronto direto na rabeira da Série B, mais uma decepção. Após terminar com uma sequência negativa na estreia do Felipão, o Cruzeiro dava pinta de que aproveitaria o embalo para vencer o Náutico, no Aflitos, e ultrapassar o rival na luta contra o Z4. Mas ficou só na expectativa mesmo. O time celeste não passou do 1 a 1 neste domingo (25) em duelo no qual ficou boa parte atrás do placar.

Com um jogo a mais do que praticamente todos os adversários na briga para fugir do Z4, o Cruzeiro agora torce para o prejuízo não ser ainda maior. A próxima rodada, a última do primeiro turno, será disputada na próxima sexta (30), no Mineirão, contra o Paraná, que ocupa a parte de cima da tabela. Já o Náutico encara o CSA fora de casa, um dia depois, no sábado (31).

Vontade não falta!

O início do primeiro tempo foi marcado por muita intensidade dos dois lados. As equipes saíam para o jogo e tentavam encurralar seu adversário na área defensiva. A melhor chance resultante desse desenho, até então, rolou aos 11 do 1T, quando Arthur Caíke lançou uma pedrada de fora da área e fez o goleiro Jefferson trabalhar.

De primeira… É GOL!

A primeira finalização do Náutico foi certeira! Aos 20 da etapa inicial, Vinicius, atacante do time pernambucano, carregou a bola pela esquerda, abriu um espaço da marcação e arriscou de fora da área. A bola passou rasteira e no canto, morrendo no fundo do gol defendida pela equipe celeste.

Sentiu o baque

Apesar da intensidade dos dois times, o Cruzeiro se mostrava melhor na primeira etapa do confronto. Mas a equipe mineira sentiu o gol sofrido e não conseguiu manter a qualidade de jogo. Isso ficou ainda mais evidente após a parada técnica, quando, aos 32, Kieza recebeu a bola na área, brigou com a zaga da Raposa e conseguiu finalizar meio sem jeito. Fábio já estava rifado no lance quando Ramon apareceu para afastar a bola, que tinha endereço certo.

‘Tem notícia boa?’

Falar que a fase do Cruzeiro está complicada já não é mais surpresa pra ninguém. Agora as imprevisibilidades que aparecem no caminho desanimam o torcedor cruzeirense. Ainda no primeiro tempo, o Cruzeiro sofreu duas baixas significativas por lesão: o atacante Arthur Caíke e o jovem lateral Matheus Pereira. Os jogadores Airton e Patrick Brey entraram para substituição.

NA LINHA!

O desenho do 2º tempo se manteve muito parecido com o que já havia sido mostrado pelas duas equipes. A qualidade nas chegadas ofensivas do time de Pernambuco também se manteve. O atacante Erick, aos 11 da etapa final, saiu cara a cara com o Fábio, que se antecipou e tentou interceptar fora da grande área. O atacante do Náutico até conseguiu finalizar, mas o zagueiro cruzeirense, Cacá, tirou a bola em cima da linha.

Na bronca!

O torcedor cruzeirense já sabe de todas as limitações técnicas e institucionais do clube, mas algo a mais vem incomodando: a falta de vontade! O segundo tempo foi marcado pela pouca capacidade de criação da Raposa e que, apesar de precisar do resultado, se mostrou apática em vários momentos.

Eis que…

E quando parecia que o resultado final do jogo estava definido… A resposta saiu aos 40 do 2T! Fábio iniciou um contra-ataque para o Cruzeiro, encontrando Patrick Brey pela esquerda. O lateral, por sua vez, lançou na cabeça de Airton, que cabeceou e fez o improvável naquele momento: o gol de empate do Cruzeiro!

FICHA TÉCNICA
NÁUTICO 1 X 1 CRUZEIRO

Local: Estádio dos Aflitos, em Recife (PE)
Data: 25 de outubro de 2020, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Evandro de Melo Lima (SP)
Cartões amarelos: Camutanga, Rhaldney, Jorge Henrique (NAU); Cacá, Ramon, Cacá, Welinton (CRU)

GOLS:
Náutico: Vinicius, aos 20 minutos do 1T
Cruzeiro: Airton, aos 40 minutos do 2T

NÁUTICO: Jefferson; Hereda, Carlão, Camutanga e Kevyn; Rhaldney, Jhonnatan (Djavan), Jorge Henrique (Erick) e Jean Carlos (Marcos Vinícius); Vinicius (Álvaro) e Kieza.
Técnico: Gilson Kleina

CRUZEIRO: Fábio; Rafael Luiz, Cacá, Ramon e Matheus Pereira (Patrick); Adriano, Jadsom Silva (Machado), Régis (Welinton) e Marquinhos Gabriel (Sassá); Arthur Caíke (Airton) e Marcelo Moreno.
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Edição: Thiago Ricci

Comentários