CCBB-BH anuncia reabertura após 7 meses de portas fechadas

centro cultural banco do brasil ccbb-bh
Espaço fez várias adaptações e volta com guia virtual (Amanda Dias/BHAZ)

O CCBB-BH (Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte) já tem data certa para reabrir as portas aos visitantes. Depois de mais de sete meses, o espaço volta a receber o púbico na próxima semana – no dia 4 de novembro. No período em que esteve fechado, o prédio passou por diversas adaptações para que as visitas sejam mais seguras. Agora, as atividades serão retomadas de quarta a segunda, das 10h às 22h.

“Estamos muito contentes com o retorno das atividades presenciais. Há muito trabalho empreendido no cumprimento dos protocolos definidos pelas autoridades, e também muito cuidado”, destaca Leonardo Camargo, gerente geral do CCBB-BH. Ele pontua ainda que o objetivo agora é proporcionar, “além de segurança aos nossos colaboradores e aos nossos visitantes, uma experiência cultural de qualidade ao nosso público”.

Abertura gradual  

A reabertura do CCBB-BH será gradual e na primeira semana, a novidade será a visita patrimonial com audioguia, por meio do app CCBB-BH. Funciona assim: o aplicativo utiliza tecnologia de localização interior para identifica o ambiente onde o visitante está e disponibilizar o conteúdo referente ao local. Além disso, o app, disponível de graça nas versões iOS e Android, também sugere os próximos passos da visita.

A partir do dia 11 de novembro, o público poderá visitar a exposição Ivan Serpa: A Expressão do Concreto, que traz uma ampla retrospectiva de um forte nome da arte moderna e contemporânea brasileira. De acordo com o gestor, “É uma satisfação oferecer ao público a oportunidade de conhecer as obras de um dos mais importantes artistas brasileiros, Ivan Serpa. A mostra apresenta uma retrospectiva de seu trabalho e possibilita ao visitante ter contato com a dimensão do conjunto de sua produção na arte moderna brasileira.”

Novas regras

Para oferecer segurança ao público e colaboradores, a entrada no CCBB-BH acontecerá mediante agendamento online via Eventim (acesse aqui), com limite de acessos e de quantidade de pessoas nos espaços do prédio. Os ingressos estarão disponíveis para emissão a partir da próxima quarta (28). O uso de máscara é obrigatório, assim como a disponibilização de álcool em gel, conforme decreto da PBH (Prefeitura de Belo Horizonte). 

Além das medidas básicas, fluxos de entrada e saída também serão alterados. Uma das portas será exclusivamente para a entrada e outra para a saída, evitando o cruzamento das pessoas, num sentido orientado por adesivos de piso e com apoio da equipe de recepção.   

A entrada será apenas pela porta principal da unidade, em frente à Praça da Liberdade, com necessidade de validação do ingresso e medição da temperatura corporal. A gestão do espaço recomenda que as visitas tenham duração de até uma hora. Áreas de espera e bancos nos espaços de visitação foram retirados para evitar a permanência prolongada.

Todos os funcionários receberão orientações sobre os protocolos de segurança. Algumas outras adaptações no espaço também visam reforçar os cuidados. O serviço de guarda-volumes está suspenso e não serão mais disponibilizados materiais impressos. Os bebedouros foram adaptados para que sejam utilizados somente para coleta de água em recipientes individuais e as televisões e totens do prédio vão exibir informes sobre os protocolos na nova dinâmica.  

Outras adaptações

  • Acesso ao prédio: Será permitido apenas mediante agendamento pelo site. O número de pessoas que podem agendar visitação em cada horário é limitado e não será possível reagendar a visita em caso de “no show”, devendo ser emitido novo ingresso.    
  • Bilheteria: Não há bilheteria física. Os ingressos devem ser emitidos pelo site ou app com apresentação do QR Code na entrada do CCBB. Não é recomendada a impressão do ticket.  
  • Abertos à visitação: Salas de exposições permanentes e visita patrimonial, mediante apresentação de ingresso. A partir de 11 de novembro, estará disponível também a exposição Ivan Serpa: A Expressão do Concreto.
  • Validade ingresso: O ingresso é válido para o dia e horário agendados, com tolerância máxima de 15 minutos, sem possibilidade de alteração.
  • Aferição de temperatura: A temperatura dos visitantes será aferida na entrada no CCBB. Pessoas com temperatura igual ou superior a 37,5º serão orientadas a buscar atendimento médico especializado. 
  • Entrada e saída acessível: Pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e outras pessoas que necessitem da rampa de acesso podem entrar e sair pela rua Claudio Manoel.  
  • Serviço de guarda-volumes: Está suspenso. Continua proibida a entrada nas salas de exposição portando mochilas ou malas. A orientação é que o público evite o uso de bolsas com dimensões superiores a 50 cm X 60 cm X 10 cm.
  • Máscara: Durante a permanência no CCBB-BH, é obrigatório o uso da máscara cobrindo boca e nariz.  
  • Visitação: Os visitantes têm um fluxo de visitação sinalizado no espaço, que respeita o adequado distanciamento físico. Uma vez iniciada a visita, o público será orientado a não voltar ao ponto inicial.  
  • Utilização dos elevadores: Pessoas com deficiência, mobilidade reduzida ou que precisem de acompanhamento possuem atendimento priorizado. Aos demais usuários, é recomendado o uso de escada.  
  • Distanciamento: O recomendado entre as pessoas é de 2 metros. Marcações no piso vão ajudar a orientar.  
  • Programa Educativo: As atividades presenciais do Programa Educativo estão suspensas.
  • Banheiros: Haverá limitação da capacidade, além da instalação de dispensadores de álcool gel. 
  • Bebedouros: Os bebedouros foram adaptados e a utilização é somente para coleta de água com recipientes individuais.   

A Expressão do Concreto

A mostra Ivan Serpa: A Expressão do Concreto, que entra em cartaz no CCBB-BH para esta volta das atividades, traz uma ampla retrospectiva de um dos artistas mais importantes da arte moderna e contemporânea brasileira. Após passar pelo Rio de Janeiro a mostra chega a BH com obras de diversas fases de Serpa.

São pinturas do período concretista, peças de caráter expressionista, da fase Negra, obras das fases Op-Erótica, Amazônica, Mangueira e Geomântica, que revelam um aspecto místico do artista.   

Para visitar a exposição, que inicia temporada no dia 11 de novembro, será necessária a emissão de ingresso gratuito pelo site/app (acesse aqui).

Edição: Roberth Costa
Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). Escreve com foco na área de Guia e Cultura no BHAZ.

Comentários