Embaixadora das Filipinas no Brasil é flagrada agredindo empregada

Embaixadora filipinas agressao
Investigação pode encontrar dificuldades por proteção diplomática do cargo de embaixadora (Reprodução/TV Globo)

A embaixadora das Filipinas do Brasil está sendo acusada de agressões contra a empregada doméstica que trabalhava em sua residência. Marichu Mauro foi flagrada por câmeras de circuito interno violentando a outra mulher em várias ocasiões. As imagens foram divulgadas pelo Fantástico, na Rede Globo, nesse domingo (25).

Nos vídeos, a diplomata é vista dando beliscões, puxando a orelha e empurrando a trabalhadora. A vítima das agressões não reage à violência e apenas tenta se esquivar. A empregada, de 51 anos, também é de origem filipina e ficou com a aparência mais debilitada desde que começou a trabalhar na residência, segundo funcionários da embaixada ouvidos pelo Fantástico.

Marichu chegou ao Brasil há dois anos e meio e foi recepcionada pelo ex-presidente Michel Temer. No início deste mês, a diplomata chegou a ser condecorada por Jair Bolsonaro. “Eu tenho certeza que o governo, o presidente ou qualquer pessoa, que tenha dado uma medalha de honraria para ela, não conhece quem ela é realmente”, comentou um dos funcionários da embaixada.

A empregada deixou o Brasil na última quarta-feira (21). Ela não deu entrevista à Globo e se limitou a dizer que estava feliz. Nem a embaixadora, nem o Itamaraty se manifestaram sobre a denúncia e a investigação.

Denúncia e investigação

O Ministério Público do Trabalho abriu um inquérito para investigar os abusos acontecidos. A investigação iniciou após denúncia feita por um dos funcionários da embaixada, que viu as agressões nas filmagens de circuito interno. Auxiliado por outros funcionários, o homem enviou ao Ministério as imagens que o Fantástico publicou.

Apesar das evidências, a investigação pode encontrar dificuldades por conta do status da embaixadora. Por ser uma diplomata, as autoridades não podem processá-la, nem prendê-la. Os agentes da investigação não podem, nem mesmo, entrar na residência oficial da embaixada, sem a autorização de Marichu.

Ainda assim, caso seja julgado que houve a prática de algum crime grave, a situação pode ser comunicada ao país de origem do embaixador, para que lá haja abertura do processo. O Brasil também pode pedir a renúncia da imunidade para o país do diplomata, ou declará-la como persona non grata, situação que forçaria a pessoa a deixar o país.

Repúdio

Após a veiculação da reportagem, várias pessoas se manifestaram condenando as atitudes de Marichu. Até mesmo figuras políticas se pronunciaram, pedindo medidas contra a embaixadora. “Essa embaixadora das Filipinas tem que ser expulsa do Brasil e responder por seus crimes”, escreveu a deputada federal Carla Zambelli.

Edição: Vitor Fernandes
Guilherme Gurgel
Guilherme Gurgelguilherme.gurgel@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários