‘Lua Azul’ aparecerá no céu no Dia das Bruxas; saiba o que isso significa

lua-cheia
Fenômeno acontece a cada dois anos e meio (Okan Caliskan/Pixabay)

O Dia das Bruxas deste ano vai contar com um fenômeno astronômico raro, conhecido como “Lua Azul”. O evento ocorre quando há duas luas cheias no mesmo mês. E, segundo especialistas da área, pode trazer influências astrológicas. Uma lua cheia ocorreu no início do mês e outra ocorre entre os dias 1º e 9. As informações são do site da revista Cláudia.

O acontecimento pode ser apreciado a cada dois anos e meio. A última vez que o fenômeno ocorreu foi em março de 2018. A “Lua Azul”, no entanto, é apenas um nome figurativo dado ao evento, já que o satélite será visto com a sua cor natural. A nomenclatura tem relação com o fenômeno de a lua aparecer cheia pela segunda vez no mesmo mês.

O fenômeno só acontece nos meses que têm 31 dias. Isso porque, os ciclos lunares se repetem a cada 29,5 dias. Então, se a lua está cheia no dia 1° ou no dia 2, depois de 29,5 dias existe a possibilidade de ela estar cheia novamente, num mês que vai até 31. Assim, de acordo com as contagens, a próxima Lua Azul será somente em 2023.

E os signos?

Para aqueles que acreditam em astrologia, a “Lua Azul” pode ser a explicação para mudanças de humor. O fenômeno ocorrerá no signo de Touro, cada fase da lua se dá em um signo. A lua cheia em Touro significa, conforme o site, um tempo de colheita e celebrações. É ideal ainda para fazer economia e iniciar um relacionamento.

O signo de Touro está ligado aos prazeres materiais, finanças e comprometimento. Com a Lua em sua fase de potência máxima no signo de Touro, todos esses aspectos ficam mais expressivos. Por isso, o Dia das Bruxas poderá ser um momento propício para desfrutar de boas comidas. Além disso, tratamentos de beleza, massagens, banhos especiais e bons perfumes serão bem-vindos. Será um bom dia para o autocuidado!

Edição: Aline Diniz
Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários