Procura-se um lar! Família se mobiliza para ajudar cão desamparado em BH

Cãozinho brincando
Jack foi encontrado há quase um mês no bairro Castelo (Arquivo Pessoal/Alessandra Melo)

Uma família de BH precisa de ajuda para encontrar um lar definitivo para um cãozinho desamparado. A representante de vinhos Alessandra Melo encontrou o pet sozinho no bairro Castelo, na região da Pampulha. Sem saber se o animal, agora chamado de Jack, foi abandonado ou estava perdido dos tutores, a mulher e a família tentam encontrar alguém para adotá-lo ou até mesmo os possíveis antigos responsáveis por ele.

Jack foi encontrado no bairro próximo a avenida Miguel Perrela, há aproximadamente três semanas. O animal tinha uma pequena coleira no pescoço e não estava acompanhado. Preocupada com a segurança dele, Alessandra levou o bichinho para sua casa. “Ele é muito dócil, muito brincalhão. Já estou muito apegada a ele”, comenta.

Cachorros deitados na cama
Jack fica brincando com as novas colegas, que não dão muita bola para o filhote (Arquivo Pessoal/Alessandra Melo)

A representante conta que não pode ficar com o animal, por conta do tamanho do apartamento em que vive com os filhos. “Ele tá mais para um ‘cãozão’ do que um cãozinho. E eu moro num apartamento minúsculo com outras cachorras já”, explica.

Segundo a tutora temporária de Jack, o cão deve ser ainda um filhote pelo comportamento que tem. Ela acredita que ele ainda tenha menos de um ano. Alessandra também estima que Jack estava habituado a viver em algum lugar espaçoso. “Ele fica querendo fugir o tempo todo”, informa.

A busca por um lar

Desde que encontrou o animal, Alessandra busca por pessoas que possam adotá-lo ou por informações sobre onde Jack vivia. No entanto, ela acabou tendo problemas com uma adoção irresponsável. “Eu arrumei um lar temporário, mas não estava legal. Ele estava ficando sem comer e ficou gripado”, lamenta.

De volta à casa da família da representante de vinhos, Jack continua aguardando por um lar definitivo. Pelas redes sociais, Alessandra e a filha, Maria Luiza, pedem ajuda para conseguir um tutor responsável para o cachorro. “Eu gostaria muito de doar para alguém que a gente tivesse notícias. Meu coração está apertado”, desabafa.

Quem tiver informações sobre os tutores de Jack ou tenha interesse em ajudá-lo, pode entrar em contato com a Alessandra pelo telefone (31) 99178-3276

Edição: Roberth Costa
Guilherme Gurgel
Guilherme Gurgelguilherme.gurgel@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários