MC Brinquedo faz forte desabafo sobre saúde mental e angústia

mc brinquedo
MC Brinquedo usou as redes sociais para desabafar (Reprodução/Instagram)

O jovem Vinicius Ricardo de Santos Moura, de 19 anos, mais conhecido como MC Brinquedo, usou as redes sociais para mais um forte desabafo, na noite dessa terça-feira (10). O funkeiro tem deixado os fãs preocupados com comportamentos reclusos e diferentes do habitual nas redes. Ele agradeceu o apoio de todos e disse que já está se recuperando.

“Nos últimos dias vocês se preocuparam comigo, me mandaram inúmeras mensagens de força e carinho. Agradeço a cada um de vocês que fez isso por mim. Todos passamos por momentos delicados, mas a diferença está em como cada um lida com essas coisas”, iniciou o artista.

“Aos poucos estou voltando a trabalhar, tenho família para suprir e isso é o que me faz querer todo dia acordar e viver. Graças a Deus, meus amigos e minha empresa estou me reerguendo. A música me salva todos os dias”, contou o funkeiro.

O jovem ainda disse que sempre será possível encontrar pessoas prestativas. “Não é fácil lidar com a angústia. Não é fácil pra mim nem pra ninguém. Artista não é super-herói e todos estamos sujeito a cair de vez em quando. Se você tem um problema, fale! Se algo te faz sofrer, procure ajuda. Existem pessoas boas a sua volta que vão amparar. Sempre existe um outro caminho”.

MC Brinquedo disse que ainda não se sente pronto para retomar a rotina. “Preciso me fortalecer mentalmente, mas pretendo falar mais sobre o assunto em breve e tentar entender mais para ajudar as pessoas a minha volta. Não deposite a sua maldade nos outros. Existe alguém que te admira do jeito que você é”, completou.

Centro de Valorização da Vida

Ligações para o Centro de Valorização da Vida (CVV), que auxilia na prevenção do suicídio, passaram a ser gratuitas em todo o país em julho do ano passado. Um acordo de cooperação técnica com o Ministério da Saúde, assinado em 2017, permitiu o acesso gratuito ao serviço, prestado pelo telefone 188.

Por meio do número, pessoas que sofrem de ansiedade, depressão ou que correm risco de cometer suicídio conversam com voluntários da instituição e são aconselhados. Antes, o serviço era cobrado e prestado por meio do 141.

A ligação gratuita para o CVV começou a ser implantada em Santa Maria (RS), há quatro anos, após o incêndio na boate Kiss, que matou 242 jovens. O centro existe há 55 anos e tem mais de 2 mil voluntários atuando na prevenção ao suicídio. A assistência também é prestada pessoalmente, por e-mail ou chat.

Edição: Roberth Costa
Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018 e 2019) e Sindibel (2019).

Comentários