Segue o líder! Na raça, Galo bate o Timão e assume a ponta do Brasileirão

marrony gol atlético corinthians brasileirão
Marrony comemora gol enquanto é observado por Cássio (André Anselmo/Futura Press/Folhapress)

Parecia que daria tudo errado para o Atlético no jogo contra o Corinthians nesta noite de sábado (14), na Neo Química Arena, em São Paulo. Com pênalti claro não marcado e gol sofrido logo no início, o Galo teve que se superar. Mas conseguiu, buscou e venceu por 2 a 1. Com a segunda vitória seguida, o time pulou para a liderança – e ainda tem um jogo a menos que o vice, Inter, apesar de ter dois a mais que o terceiro, São Paulo.

Além de ter um fim de semana tranquilo e favorável, o atleticano ainda vislumbra uma perspectiva animadora. O Galo volta a entrar em campo na próxima quarta-feira (18), quando encara o “ex-xará” Athletico-PR, dentro de casa. O duelo é válido pela sexta rodada. Já o Timão pega o Grêmio, mais uma vez, na capital paulista.

Começo polêmico

O jogo começou agitado, com os times avançando para a área sem medo. Logo aos 4, houve um lance polêmico, em que os atleticanos reclamaram de pênalti do zagueiro Gil no estreante Eduardo Vargas. Mesmo assim, na sequência, o Galo quase abriu o placar: na sobra, Guilherme Arana chutou para o gol, e o goleiro Cássio salvou o time da casa. Na checagem do VAR (como de costume em lances de possível pênalti), mesmo com as reclamações dos jogadores, o árbitro não viu falta na jogada.

Corinthians sai na frente

O jogo seguiu e, na resposta corintiana, aos 5 do 1T, Ramiro cruzou para o meio da área. O atacante Davó mandou de primeira para as redes: 1 a 0 para o Corinthians. Pouco depois, aos 9, o Timão quase ampliou depois de cruzamento de Fagner. O mesmo Davó tentou empurrar para o gol, mas chegou atrasado na bola.

‘Eu quero raça!’

O Galo pareceu sentir o gol, e diminuiu um pouco a intensidade. Por outro lado, o Timão buscava o segundo, mas com menos êxito nas finalizações. Porém, o time de Sampaoli conseguiu crescer mais durante o final da primeira etapa.

Aos 33 do 1T, o alvinegro mineiro quase chegou ao empate em cobrança de falta, com um mergulho de Sasha, que foi por cima do gol. Dez minutos depois, Jair chutou de fora e a bola passou perto do travessão. Aos 46, Fagner deixou Davó cara a cara com Everson, mas o goleiro saiu do gol e evitou o chute.

Olha a ‘Lei do Ex’ aí!

O 2T começou morno, até que o Galo decidiu mexer no placar: aos 15, o chileno Vargas deu um lindo toque de calcanhar para Arana, que invadiu a área chutando rasteiro, direto para as redes. Uma curiosidade é que o lateral já jogou no Corinthians há alguns anos e, por isso, preferiu não comemorar o gol.

É o time da virada?

Depois do empate, o time mineiro cresceu no jogo, enquanto o clube mandante ficou mais na retranca. Aos 28 do 2T, a virada atleticana quase veio depois de uma linha de passe muito bem executada. Na cobrança de escanteio, Réver cabeceou, a bola chegou em Igor Rabello, que pingou para a pequena área. Nathan pegou a sobra, e Cássio agarrou em cima da linha.

Água mole em pedra dura…

Tanto bate até que fura! Já na reta final, aos 37 do 2T, Keno se livrou da marcação de Cafu e fez um cruzamento perfeito para Marrony mandar de primeira para as redes. A virada do Galo veio quando o time estava num ótimo momento no jogo, pressionando o Corinthians.

A vitória veio porque o time mineiro conseguiu fazer um 2T superior, encaixando bem as jogadas e se defendendo com segurança. Esse foi o primeiro trunfo do Galo na Neo Química Arena, desde a inauguração do estádio em 2014.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 2 ATLÉTICO

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 15 de março de 2020, domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)
Assistentes: Alex dos Santos (SC) e Henrique Neu Ribeiro (SC)
VAR: Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
Cartões amarelos: Roni, Ramiro e Davó (Corinthians); Jair, Keno, Réver, Vargas e Victor (Atlético)
Gols: Matheus Davó, aos 5 minutos do 1T (Corinthians); Guilherme Arana, aos 15 do 2T (Atlético)

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Marllon, Gil e Lucas Piton; Gabriel (Cantillo), Ramiro (Araos), Roni (Éderson) e Luan; Everaldo (Léo Natel) e Matheus Davó (Jonathan Cafu)
Técnico: Vagner Mancini

ATLÉTICO: Everson; Guga, Réver, Igor Rabello e Guilherme Arana; Allan, Jair e Zaracho (Nathan); Eduardo Vargas (Bueno), Keno (Hyoran) e Eduardo Sasha (Marrony)
Técnico: Jorge Sampaoli

Edição: Thiago Ricci
Beatriz Kalil Othero
Beatriz Kalil Otherobeatrizkof@gmail.com

Mineira de BH, graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre os jogos dos times mineiros como repórter freelancer para o BHAZ.

Comentários