Efeito Covid? Galo tem arrancada barrada e perde a primeira em casa

galo athletico-pr mineirão chuva brasileirão
Galo teve a arrancada barracada pelo Furacão (Pedro Souza/Agência Galo/Atlético)

O Galo até que tentou… Mas não conseguiu vazar a defesa do Athletico-PR nesta noite chuvosa de quarta-feira (18), no Mineirão. Desfigurado após surto de Covid-19, o Atlético não conseguiu consolidar a arrancada na ponta do campeonato após duas vitórias seguidas e amargou o primeiro revés dentro de casa neste Brasileirão ao perder por 2 a 0 para o Furacão. Depois de algum tempo, enfim, igualou os jogos dos rivais do topo Inter e Flamengo – mas tem três a mais do que o São Paulo.

O próximo desafio é logo no próximo domingo (22) contra o Ceará, fora de casa, no Castelão (CE). Além de não ter chance de ver a recuperação dos jogadores contaminados pelo novo coronavírus, o Galo se preocupa em não aumentar o número de baixas. Já o ex-xará paranaense, que pulou cinco posições com a vitória e ocupa agora o 10º lugar, encara o Santos na Arena da Baixada, em Curitiba, um dia antes, no sábado (21).

Covid ataca o Galo

O Galo teve 20 casos de Covid-19 às vésperas do duelo contra o Athletico-PR. Alguns membros da comissão técnica foram infectados, inclusive o técnico Jorge Sampaoli e o diretor de futebol Alexandre Mattos. Entre os jogadores, a lista foi extensa: Victor, Guga, Réver, Allan, Vargas, Alan Franco, Savinho, Rômulo, Rubens Dias. Leandro Zago, técnico da equipe de transição, teve que dirigir o time do banco de reservas.

Chuva feroz

No primeiro ataque do jogo, aos 3 do 1T, o time visitante assustou o Galo com jogada de Reinaldo. Ele driblou Bueno e bateu cruzado para o gol, para boa defesa de Everson. O time da casa tentou responder aos 8 com chute forte de Keno depois de lançamento de Zaracho, mas a bola subiu. A chuva era tão intensa na região da Pampulha, onde está localizado o Mineirão, que até as placas de publicidade que ficam atrás do gol foram derrubadas pelo vento forte.

Jogo esquenta…

Mesmo com a tempestade, os times estavam conseguindo fazer uma partida movimentada. Aos 19 do 1T, na melhor chance alvinegra até então, Marrony quase abriu a contagem. Ele chutou uma bomba da entrada da área, que saiu pela linha de fundo. Mas o Athletico não estava de retranca, e revidou aos 24: o atacante Renato Kayser, artilheiro da equipe no Brasileirão com 7 gols, passou pela marcação, chutou sem ângulo e a bola foi rente à trave do goleiro Everson.  

… e o placar se mexe!

E depois da insistência, o Furacão saiu na frente no placar. Aos 34 do 1T, pela direita, Erick achou Christian sozinho na área, e o volante mandou uma bomba direto para as redes. Logo depois, aos 35, o Galo quase empatou com um chutaço de Guilherme Arana. O lateral serviu a Seleção Brasileira ontem, no jogo contra o Uruguai e voltou para BH a tempo para o jogo. O goleiro Santos se esticou e fez uma grande defesa. 

‘Lei do Ex’, sempre ela…

Mas o Athletico queria mais: nos últimos momentos do 1T, Nikão avançou com a bola e mandou para o gol da entrada da área. O chute foi desviado e enganou o goleiro Everson, fazendo 2 a 0 para o time visitante. O atacante jogou 6 partidas com a camisa do Galo entre 2010 e 2014, tendo sido emprestado para outros clubes diversas vezes. 

Trocação aberta

O 2T começou agitado, parecido com o panorama do 1T. Logo aos 2, o atleticano Calebe cruzou para Arana, que chutou e foi bloqueado. No lance seguinte, aos 3, Nathan cruzou para Keno livre na área e ele cabeceou para fora. O jogo era lá e cá, e o time visitante respondeu logo aos 4, com chute forte de Nikão que tirou tinta da trave. Três minutos depois, uma falha do zagueiro alvinegro Bueno: Richard aproveitou e chutou forte para o gol, mas a bola subiu. 

A pressão alvinegra continuou e, aos 17, Sasha quase diminuiu para o clube de BH. No rebote da defesa adversária, ele matou no peito e chutou forte, mas Santos fez mais uma ótima defesa no jogo. Em menos de 20 minutos de 2T, o Galo já havia criado 6 boas chances de balançar as redes, mas sem êxito.

Emoção até o final

Mesmo com o gramado encharcado, os clubes continuavam persistentes. O time da casa voltou a ameaçar aos 29, com chute forte de Keno, mas a bola passou. Por pouco, o Furacão não marcou o 3º na partida. Bissoli chutou uma bola venenosa, Everson tocou nela e quase entrou, mas foi para a linha de fundo.

A derrota amarga do Galo, a primeira no Mineirão no Brasileirão, interrompeu a sequência de 2 vitórias seguidas que o time vinha tendo na competição. Mas o time continua líder, 2 pontos à frente de Internacional, Flamengo e São Paulo, todos com 36 pontos. O time paulista, no entanto, possui três jogos a menos.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 0X2 ATHLETICO-PR

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 17 de novembro, quarta-feira
Horário: 19h (Brasília)
Árbitro: Dyogines Jose Padovani de Andrade (ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Katiuscia M Berger Mendonça (ES)
VAR: Jose Claudio Rocha Filho (SP)
Cartões Amarelos: Keno e Bueno (Atlético); Richard e Christian (Athletico-PR)

GOLS
ATHLETICO-PR: Christian, aos 34 minutos do 1º tempo; Nikão, aos 45 minutos do 1º tempo

ATLÉTICO: Everson; Talison (Wesley), Bueno, Igor Rabello e Arana; Jair, Hyoran (Nathan), Zaracho (Calebe); Sasha, Keno e Marrony (Borrero)
Técnico: Leandro Zago (técnico da equipe de transição)

ATHLETICO-PR: Santos; Erick, Thiago Heleno, Pedro Henrique e Abner; Richard (Wellington), Christian e Fernando Canesin (Léo Cittadini); Nikão (Fabinho), Reinaldo (Zé Ivaldo) e Kayzer (Bissoli)
Técnico: Paulo Autuori

Edição: Thiago Ricci
Beatriz Kalil Othero
Beatriz Kalil Otherobeatrizkof@gmail.com

Mineira de BH, graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre os jogos dos times mineiros como repórter freelancer para o BHAZ.

Comentários