Prédio de 5 andares ‘entorta’ em Betim e região é evacuada

prédio 5 andares entorta betim
Prédio ficou bastante inclinado e tem alto risco de desabamento (66°Batalhão PM/Divulgação)

Um prédio de cinco andares, ainda em construção, está com “alto risco de desabamento” após inclinar. As imagens da movimentação do edifício em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte, impressionam. Autoridades se mobilizaram para evacuar todos os moradores dos prédios vizinhos ainda na noite dessa terça-feira (17), quando a estrutura sofreu o deslocamento.

prédio inclina betim
Vizinhos ouviram barulhos de estalo (Defesa Civil de Minas Gerais/Divulgação)

“Os solicitantes informaram que um prédio de 5 andares, ainda em construção, estava inclinando e estavam ouvindo estalos vindos da estrutura do prédio”, relata, por nota, o Corpo de Bombeiros. Ao todo, sete viaturas dos militares, além da Polícia Militar foram mobilizadas para atender a ocorrência imediatamente na avenida Airton Senna, no bairro Ponta Alta.

prédio risco desabamento betim
Imagem de prédio inclinado assusta (Defesa Civil de Minas Gerais/Divulgação)

Defesa Civil e Cemig também foram acionadas posteriormente. A Defesa Civil do Estado de Minas Gerais informou que, por ainda estar em construção, o edifício em risco não tinha moradores. “Contudo, os imóveis próximos já foram evacuados, local devidamente isolado pela Polícia Militar”, relatou.

Chuva

Ainda não foi confirmada pelas autoridades a ligação entre o deslocamento do edifício com as chuvas registradas ontem. Temporais atingiram várias regiões do estado nessa terça-feira (17). No Sul de Minas, casas ficaram destelhadas e árvores caídas, além do registro de alagamentos e intensa chuva de granizo. As cidades mais atingidas foram Alfenas, Machado, Paraguaçu e Santa Rita de Caldas. Na última, moradores filmaram um “tornado” se formando no céu.

Em Belo Horizonte, a forte chuva de ontem causou o bloqueiro de vias, como avenida Vilarinho. “Risco alto de transbordamento do córrego Vilarinho”, informou a Defesa Civil de BH às 19h30. Cerca de 40 minutos depois, as vias foram liberadas.

Mais tarde, por volta das 21h, a avenida Tereza Cristina foi fechada por “alto risco de transbordamento do córrego Ferrugem e ribeirão Arrudas”. Entre ontem e o início da madrugada de hoje, a Defesa Civil recebeu 23 solicitações de vistoria na capital mineira:

  • 1 de desabamento parcial de muro de arrimo
  • 3 de abatimento de piso
  • 1 de enchente ou inundação
  • 2 de risco de danificação ou destruição de habitações
  • 1 de risco de destruição ou desabamento de muro
  • 3 de trincas e rachaduras em muro
  • 5 de trincas

Das 17h30 de ontem até 5h30 de ontem (portanto, em 12h), choveu 29% do esperado para todo o mês de novembro na região mais afetada de BH, a Leste. Venda Nova (21%), Centro-Sul (15%), Noroeste (13%) e Oeste (12,8%) foram as áreas, na sequência, onde mais choveu.

ACUMULADO DE CHUVAS (mm), nas últimas 12 horas. Em 18/11/20 às 5h30:

Barreiro: 27.2 (11,3%)
Centro Sul: 36.8 (15,3%)
Leste: 69.8 (29,1%)
Nordeste: 26.4 (11,0%)
Noroeste: 36.2 (13,4%)
Norte: 20.0 (8,3%)
Oeste: 30.0 (12,8%)
Pampulha: 20.6 (8,6%)
Venda Nova: 50.6 (21,1%)

Thiago Ricci
Thiago Riccithiago.ricci@bhaz.com.br

Editor-executivo do BHAZ desde agosto de 2018, cargo ocupado também entre 2016 e 2017. Jornalista pós-graduado em Jornalismo Investigativo, pela Abraji/ESPM. Editor-chefe do SouBH entre 2017 e 2018; correspondente do jornal O Globo em Minas Gerais, entre 2014 e 2015, durante as eleições presidenciais; com passagens pelos jornais Hoje em Dia e Metro, TVs Record e Band, além da rádio UFMG Educativa, portal Terra e ONG Oficina de Imagens. Teve reportagens agraciadas pelos prêmios CDL, Délio Rocha, Adep-MG e Sindibel.

Comentários