A transformação na política já começou, basta analisar os resultados das Eleições

urna eletronica
José Cruz/Arquivo/Agência Brasil

Passadas as eleições municipais, já temos os nomes daqueles que serão nossos representantes nas Câmaras de Vereadores e Prefeituras. Concluímos o processo de seleção mais importante para o futuro da nossa cidade. Já conhecemos quem são os que, pelos próximos 4 anos, trabalharão pelo desenvolvimento dos municípios em busca de igualdade de oportunidades e melhores perspectivas para os cidadãos.

Na condição de eleitores, temos o dever de acompanhar o trabalho que é realizado e precisamos, além disso, fiscalizar a aplicação dos nossos recursos enquanto pagadores de impostos. São os eleitores os olhos dos mandatários e a cada 4 anos somos chamados a “contratar”, através do voto, aqueles que vão trabalhar por nós.

Nos últimos anos, os rumos da política brasileira e o descaso com o dinheiro público têm afastado muitas pessoas deste processo, mas não podemos deixar que isso aconteça. Se temos consciência de que o sistema político carece de melhorias, precisamos cada vez mais de cidadãos que saiam da indignação e partam para a ação, daqueles que se tornam candidatos e aceitam ser colocados à prova, como num teste em que são avaliados seu histórico de vida, qualidades, valores, pretensões e tudo o que possam representar à frente das nossas instituições públicas de poder.

As eleições de 2020 trouxeram alguns resultados importantes. Por exemplo, a Câmara Municipal de Belo Horizonte teve a maior renovação de vereadores nos últimos anos, sendo que 58% dos legisladores municipais foram substituídos. Enquanto em 2016 a taxa de renovação foi de 56%, em 2012 o índice representava 53% e, em 2008, apenas 42%. É um histórico de aumento em renovação. Dos 41 vereadores eleitos neste 15 de novembro de 2020, apenas 17 foram reconduzidos a outro mandato.

Outro fato relevante de ser avaliado é a participação feminina na política. Dados mais recentes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que as mulheres representam, hoje, 52,6% do eleitorado brasileiro, mas esta representação não é refletida na participação política. Em BH, capital do Brasil com o maior número de candidatos a vereador por vaga, tivemos, entre 1.584 candidatos, a candidatura de 506 mulheres, representando apenas 31,9% do total. Percentual muito próximo do limite estabelecido em lei desde 1997, que prevê a cota de pelo menos 30% de mulheres na lista de candidatos. 

Destaco que defendo a participação das mulheres na vida política e sou contra a existência de cotas para mulheres. As cotas femininas são um mecanismo artificial imposto que provoca distorções e culmina em irregularidades no sistema eleitoral, como candidatas fantasmas. Além disso, fragiliza e desvaloriza as mulheres, que são tão competentes quanto os homens para exercer um mandato político. 

Fico orgulhosa em constatar que os resultados em Belo Horizonte demonstram que as mulheres estão conquistando os espaços na política. Alcançamos a maior presença feminina da história, 25% da composição da Câmara Municipal. A partir de fevereiro de 2021, 11 vereadoras representarão o eleitorado feminino, número quase três vezes maior que as 4 eleitas em 2016. O Partido NOVO que antes contava com apenas 1 representante no legislativo municipal, tem, agora, 3 vereadores, sendo 2 mulheres.

A representatividade da mulher amplia a implementação de projetos associados às suas prioridades. Um Estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Universidade de Campinas, com dados coletados de 2000 a 2015, aponta que os estados brasileiros com maior participação de mulheres na política foram os que mais reduziram a mortalidade infantil. A queda na taxa de mortalidade em crianças menores de 5 anos foi observada quando as mulheres representam ao menos 20% dos eleitos.

Sejamos positivos! Para que os melhores resultados em educação, saúde e segurança sejam entregues à população, busquemos nos cidadãos eleitos o comprometimento e a responsabilidade com o futuro da nossa cidade. Parabenizo a todos os que se doaram nesse período em busca de mostrar à população que é possível fazer diferente. Desejo aos eleitos que cumpram suas propostas com honestidade e transparência e que sigam firmes em seus propósitos, buscando, cada vez mais, uma atuação coerente e com foco na população. A transformação que tanto esperamos e precisamos em nossas cidades já começou.

Laura Serrano
Laura Serranocontato@lauraserrano.com.br

Laura Serrano é deputada estadual eleita com 33.813 votos pelo partido Novo. Economista, Mestre pela Concordia University (Canadá), pós-graduada em controladoria e Finanças e graduada pela UFMG com parte dos estudos na Université de Liège (Bélgica). É membro da Golden Key International Honour Society (sociedade internacional de pós-graduados de alto desempenho).

Comentários