Modelo acusa o senador Irajá Silvestre Filho (PSD) de estupro

senador irajá silvestre filho congresso comissões mistas medida provisória
Senador Irajá nega ter cometido o crime e fala em ‘episódio infame’ (Jane de Araújo/Agência Senado)

Por Alfredo Henrique e Thaiza Pauluze

Uma modelo de 22 anos acusa o senador Irajá Silvestre Filho (PSD-TO), 37, de tê-la dopado e estuprado na madrugada desta segunda-feira (23) em um flat no Itaim Bibi, na zona oeste da capital paulista. O político, que é filho da também senadora Kátia Abreu (PP-TO), negou que tenha cometido crime e chamou a acusação de farsa.

Segundo relatado por amigos da vítima à polícia, a modelo conheceu o senador no restaurante do Jockey Club, onde teriam almoçado. Depois, os dois foram até um bar na zona oeste, onde encontraram outras pessoas e consumiram bebidas alcoólicas.

Segundo relato da modelo no boletim de ocorrência, ela então teria perdido a consciência e acordado na suíte de um flat, no Itaim Bibi.

No relato, a modelo conta que acordou e recobrou a consciência com o senador em cima dela, penetrando-a e dizendo as frases “agora você é minha” e “eu estou apaixonado”.

Temendo por sua segurança, ela afirmou à polícia que não resistiu à violência, mas que pediu para ir ao banheiro e tomar água, na tentativa de fugir do político, sem sucesso.

Conforme registrado pela polícia, a vítima diz que conseguiu sair após o suspeito concluir o ato sexual, sem preservativos. Em seguida, ela se trancou no banheiro e enviou mensagens a amigos, informando sobre o abuso.

Uma amiga da vítima, também modelo, de 34 anos, chegou ao 3º andar onde fica o flat para ajudá-la. Ambas saíram do local e foram à recepção do edifício, onde acionaram a PM. Ao chegarem ao prédio, policiais foram ao quarto onde o senador estava, mas o político havia saído do local.

A suíte foi preservada para a realização de exames periciais. A vítima também foi submetida a exames sexológicos e toxicológicos. O caso foi registrado como estupro no 14º DP e será investigado pela 3ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher).

Em nota, o senador afirmou ter tomado conhecimento do “episódio infame” com surpresa. “Eu sempre pautei minha vida profissional, pública e pessoal pela ética, respeito e retidão, sendo inimaginável ser acusado de algo dessa natureza”, disse.

O político informou que solicitaria à polícia a realização de exame de corpo de delito na vítima “para comprovar a verdade”.

Alegando inocência, o senador disse lamentar ter sido envolvido em uma farsa, um “enredo calunioso e difamatório que busca manchar o meu nome em função da visibilidade momentânea da função que ocupo”.

Ele acrescentou que vai se manifestar novamente somente após a conclusão das investigações. “Declaro e reitero que não cometi ilícito algum e estou à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários”, finaliza nota.

Procurada, a modelo não respondeu a reportagem até a publicação desta reportagem.

Folhapress
Folhapress

A Folhapress é a agência de notícias do Grupo Folha, uma das mais tradicionais do país. Comercializa e distribui diariamente fotos, textos, colunas, ilustrações e infográficos.

Comentários