Animalesco: Homem tortura, esfaqueia e deforma mulher com fogo

Delegacia de Caratinga
Vítima foi encorajada por testemunhas a fugir do local e denunciar o homem (Reprodução/Google Street View)

Um homem que espancava, torturava, ameaçava e mantinha a companheira em cárcere privado foi preso nessa segunda-feira (23), em Caratinga, no Vale do Rio Doce. A vítima, de 34 anos, foi encorajada por testemunhas a denunciar o autor, de 26, depois de meses de abusos psicológico e físico. A mulher está em um hospital da região, com o braço e três costelas quebradas.

De acordo com o registro policial, a mulher vivia com o companheiro em união estável e era espancada por ele com frequência. Ela contou às autoridades que, há cerca de dois meses, o autor ateou fogo nela, deformando permanentemente sua barriga e seu pescoço.

Na segunda-feira, o homem bateu na companheira com uma barra de ferro, quebrando seu braço esquerdo e três costelas. A vítima foi encontrada com o corpo cheio de cortes, espalhados pelas pernas, costas, couro cabeludo, pescoço e antebraços. Segundo ela, os ferimentos foram causados pela barra de ferro e por uma faca.

Cárcere privado

A mulher contou à Polícia Militar que era mantida pelo homem em cárcere privado. O companheiro a ameaçava, dizendo que mataria os filhos e o pai da vítima caso ela o abandonasse. O casal vivia junto em um cômodo em um imóvel que funciona como bar na cidade, cedido pelo proprietário do local.

A vítima fugiu do local depois de ser incentivada por duas mulheres, que estavam no bar e testemunharam o ocorrido. Ela permanece sob cuidados do hospital e vai passar por uma cirurgia no braço esquerdo, que foi fraturado. O autor foi preso em flagrante delito.

Onde e como denunciar?

Em Belo Horizonte, além da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher, existem ao menos outras três instituições que atendem vítimas de violência contra a mulher: Nudem (Núcleo de Defesa da Mulher), da Defensoria Pública; Casa Benvinda, da Prefeitura de Belo Horizonte; e Casa de Referência Tina Martins, do chamado terceiro setor, sem vínculo governamental. Além disso, existe também o aplicativo MG Mulher, do governo de Minas (veja aqui).

  • Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher: av. Barbacena, 288, Barro Preto | Telefones: 181 ou 197 ou 190
  • Casa de Referência Tina Martins: r. Paraíba, 641, Santa Efigênia | 3658-9221
  • Nudem (Núcleo de Defesa da Mulher): r. Araguari, 210, 5º Andar, Barro Preto | 2010-3171
  • Casa Benvinda – Centro de Apoio à Mulher: r. Hermilo Alves, 34, Santa Tereza | 3277-4380

Edição: Thiago Ricci
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários