Arroz sem lavar com alho queimado: Receita de ‘gororoba’ viraliza

receita-arroz
“Enfim, gosto é gosto” dizia Renata Domingues ao mostrar receita (Reprodução/Redes Sociais)

Viraliza desde a tarde de hoje (26), no TikTok, uma receita bem diferente de como fazer arroz. Renata Domingues costuma compartilhar algumas receitas em seu perfil da rede social e, dessa vez, postou como prepara o arroz. Internautas criticaram a quantidade de temperos colocados pela maquiadora, bem como o fato de ela não lavar o arroz.

No vídeo, Renata Domingues usa bastante óleo, uma cebola inteira, três cabeças de alho, dois sachês de sazon, sal, o arroz sem lavar e água. Ela ironiza o fato de seus seguidores reclamarem do modo como ela prepara o alimento: “muito óleo né meu amor, pois é, gosto é gosto!”. O TikTok já tem tem mais de 290 mil visualizações.

O alho queimado foi um dos elementos que chamaram atenção na receita, ao que Renata Domingues disse: “Quem nunca queimou o alho na vida que atire a primeira pedra”. Sobre o arroz ser colocado na mistura sem lavar, a TikToker ensina que “quando você lava, você tira as proteínas, pesquise”. Domingues também finaliza todos os passos da receita dizendo: “enfim, gosto é gosto”.

Repercussão

Assim que o vídeo chegou no Twitter, muito se falou sobre o jeito diferente que Renata Domingues faz o arroz. “Fritou o alho e a cebola como se tivesse fritando uma coxinha KKKKKK”, disse um internauta. Um outro usuário brincou, dizendo: “Médico -você está com o baço inchado pelo excesso de conservantes e provavelmente vai morrer em 2 meses se continuar assim. Fulana – enfim, gosto é gosto”.

“Gente para de falar que não lavam o arroz por causa dos nutrientes a gente sabe que é por preguiça mesmo, quer nutriente vai comer uma verdura”, disse outra pessoa. “Nem precisava de por água só essa quantidade de óleo ela cozinhava o arroz” foi outro tipo de comentário feito.

Edição: Roberth Costa
Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários