Jovem joga celular por grade de portão de prédio e evita assalto

celular jogado dentro prédio
Vítima jogou celular dentro de prédio e evitou assalto (Reprodução/YouTube)

Um jovem de 19 anos conseguiu evitar um assalto ao jogar o celular dentro do prédio onde mora, no Guarujá, litoral de São Paulo. A cena foi flagrada por câmeras de segurança do local. Assustado, o criminoso fugiu de bicicleta. A vítima não quis registrar ocorrência na Polícia Civil. As informações são do G1.

O caso aconteceu em frente a um prédio residencial na avenida Dom Pedro, no bairro Enseada. Quando a vítima é abordada pelo criminoso, que aparece em uma bicicleta, ela joga o celular para dentro do prédio. Frustrado, o suspeito foge.

O auditor Lucas Brazil de Souza Lima relatou ao G1 que havia saído do apartamento onde mora e aguardava, próximo ao portão, por um motorista de aplicativo. Ele estava indo para a casa do irmão. “Ele [motorista] estava demorando bastante, aí o criminoso chegou de bicicleta”, contou.

‘Tomei um susto’

No vídeo, é possível ver o criminoso se aproximando da vítima e anunciando o assalto. O suspeito ameaçou Lucas com uma arma por baixo da camisa. “Foi quando eu o vi e tomei um susto. Ele apresentou um objeto que, até então, eu não tinha identificado como arma”, lembrou.

Logo na sequência, Lucas joga o celular no chão, dentro do prédio. “Acho que foi o susto que me fez jogar o celular para dentro. Não foi algo pensado. Se eu tivesse tempo para pensar, acho que não tomaria aquela atitude”, disse.

Comportamento inadequado

É possível ver a arma do criminoso sob a camisa, mas a vítima não soube dizer se era um simulacro ou real. Logo depois, o homem foge. A vítima ainda disse que, apesar da queda, o aparelho não foi danificado, com nem mesmo um arranhão. “Ele saiu de mão vazia”, contou entre risos.

Após o susto, Lucas disse que seu comportamento não foi o correto, por conta do risco que correu. “Não é o adequado a se fazer. É como se eu tivesse tomado essa atitude por causa do celular, mas foi só um susto, mesmo. Depois que passou, eu vi o risco que eu corri”, finalizou.

A Política Militar mineira corrobora o que diz o auditor: a vítima deve manter a calma e jamais reagir. “Comunique-se, faça movimentos lentos e nunca reaja, pois o infrator com um mínimo gesto pode se exaltar, lhe agredir e até realizar um disparo com arma de fogo”, afirma a corporação.

Confira todas as orientações:

  • Responda com calma somente ao que lhe for perguntado ou para avisar sobre qualquer gesto ou movimento a ser realizado.
  • Não discuta. Entregue ao criminoso o que ele exigir. Assim, o tempo do roubo será menor.
  • Discretamente, procure memorizar todos os detalhes possíveis, fisionomia, modo e frases usadas, roupas, gírias, trajetos e locais  visitados, veículos utilizados, etc.

Em caso de roubo à residência:

  • Acostume-se a trancar sempre portas e portões de acesso de sua casa. Não os deixe abertos inutilmente, ainda que por poucos momentos. Os delinquentes valem-se de nossos descuidos.
  • Esteja alerta à presença de suspeitos nas imediações de sua casa, nos momentos de sua chegada ou na hora de sua saída.
  • Não admita o ingresso de estranhos em sua casa. As credenciais de carteiro, leitores de hidrômetro, entregadores de gás, funcionários das companhias de telefone e de energia elétrica, etc., devem ser devidamente examinadas e, em caso de dúvida, confirmadas por telefone. Sempre que possível alerte os outros familiares, ou o vizinho mais próximo, quando franquear a entrada de um deles em seu lar.
  • Não guarde valores de monta em sua casa. Faça seguro deles e confie sua custódia a cofres particulares de agências bancárias. Se preferir usar cofres de segurança em sua casa, guarde sigilo quanto a sua existência e localização.

Edição: Thiago Ricci
Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018 e 2019) e Sindibel (2019).

Comentários