Kalil ataca Zema e Bolsonaro e não descarta ser candidato a presidente

alexandre kalil roda viva
Prefeito de BH foi o entrevistado do Roda Viva desta semana (Reprodução/YouTube)

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), fez duras críticas ao governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e não descartou ser candidato à presidência da República em 2022. O mandatário da capital mineira também não poupou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no que diz respeito à condução da pandemia alegando que “faltou liderança”. As declarações foram dadas em entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura, na noite de ontem (30).

Indagado sobre o motivo de não ter um bom relacionamento com Zema, destacado principalmente durante a condução da pandemia do novo coronavírus, Kalil justificou dizendo que “foi instalado o gabinete do ódio” no governo do estado. “Não dou a menor importância para isso. Se ele falasse: ‘O Alexandre vem cá, você vai pra aquele lugar, mas toma o seu dinheiro que eu te devo aqui’. Aí eu ia lá buscar o meu [dinheiro para a prefeitura]”.

“Péssimo pagador, péssimo de palavra, péssimo de tudo. Agora eu não aguento desaforo. Ele não tem a menor importância pra mim. Porque senão me ajuda pagando, quando tenho problema de tempestade, não me ajuda em respirador, médico e nada. O que eu quero com ele? Tomar café, tomar cerveja? Bala de Araxá eu tenho quem traz pra mim”, disparou.

Ao comentar uma declaração de Zema onde foi dito que Kalil “fala muito e não faz nada”, o prefeito de BH destacou. “O que eu tenho para falar do governador de Minas é que ele não fala nada e não faz nada. Belo Horizonte está fora do cardápio do governo de Minas. Como eu sou devedor de alguém, eu agradado quem eu devo. Agride Belo Horizonte como se não estivesse devendo a Belo Horizonte, ao longo dos 36 meses que ele prometeu pagar, quase R$ 700 milhões”.

Kalil presidente?

A candidatura ao Governo de Minas foi outro ponto destacado ao longo da entrevista. Kalil não descartou ser postulante ao cargo já que o nome dele é cotado, mas ressaltou. “Eu tenho que respeitar os quase 63% da população [que votaram para eu continuar como prefeito]. Eu nem nem assumi meu segundo mandato. Temos que ver qual será a situação de Minas Gerais daqui dois anos. Ninguém sabe”, afirmou.

Questionado sobre uma possível candidatura à vice-presidente ou até mesmo à presidência da República, visto que o nome de Kalil agrada ao PSD, partido ao qual é filiado, o prefeito respondeu ao seu estilo. “Modéstia nunca foi o meu forte. Você já pensou se eles quiserem me carregar até pra esse lugar [à Presidência]? É claro que eu vou. Vocês estão de sacanagem comigo, né?”

“É aquela história que meu pai contava: ‘A Xuxa bate na porta e você fala que não é aqui?’. Não dá, mas eu não tenho nenhuma pretensão [de ser candidato a presidente ou a vice]. Eu sou prefeito reeleito de Belo Horizonte e respeito a votação massacrante que eu tive lá. Agora pera, lá. Se eu for carregado para lá, muito obrigado”, disse aos risos.

Bolsonaro

O presidente Bolsonaro também foi citado por Kalil durante a entrevista. Para ele, o “líder” do país “errou muito na pandemia” do coronavírus. “Vamos ser muito sinceros. Ele derramou dinheiro na pandemia. Negar a pandemia era verbalizar. Foi de graça. Não custou nada. Então o mais difícil de fazer, ele fez. Não economizou na pandemia. Se ele não tivesse negado, ele teria gastado a metade do que ele gastou. Se ele tivesse liderado a nação, ele teria gastado a metade do que ele gastou”.

Kalil ainda destacou que “faltou liderança” de Bolsonaro na pandemia, pois ele é o mandatário do país. “O presidente da República é um líder, gostando dele ou não. Já falei que não preciso dele como amigo, preciso para me dar dinheiro para a saúde, educação, infraestrutura. Na hora de reconstruir a cidade [depois das chuvas de janeiro], custou R$ 200 milhões e o governo federal mandou R$ 7 milhões”.

É pra isso que eu preciso dele, meus amigos de tomar cerveja eu já tenho. Faltou a liderança que a gente está vendo na Europa, que é o primeiro ministro que fala, o presidente que fala, o líder nos guiando”, complementou.

A entrevista concedida por Alexandre Kalil ao Roda Viva, da TV Cultura, pode ser vista na íntegra abaixo.

Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários