Kalil diz que não daria ‘receita’ para o Cruzeiro sair da Série B

alexandre-kalil-jogadores-cruzeiro
Prefeito de Belo Horizonte foi presidente do Atlético em 2008 (Reprodução/YouTube + Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Em entrevista ao programa Roda Viva, na noite de ontem (30), o prefeito Alexandre Kalil (PSD) comentou sobre a queda do Cruzeiro para a Série B do Campeonato Brasileiro. Ex-presidente do Atlético, ele foi questionado sobre qual seria a receita para que o adversário celeste volte a subir na tabela. Na resposta, Kalil comparou a queda da Raposa com o rebaixamento sofrido pelo Galo, em 2005.

“O Cruzeiro tinha time para ser campeão, elenco para ser campeão, salário para ser campeão, e caiu para a segunda divisão, o que é um fato inédito”, comentou Kalil, sobre o rebaixamento. “Quando o Atlético caiu, o Atlético tinha direção de segunda divisão, salário de segunda divisão, tudo de segunda divisão e caiu para a segunda divisão”, continuou.

Ao ser perguntado sobre qual a receita para que o Cruzeiro volte para a Série A, Kalil disse que ela não existe. “Futebol não tem receita, futebol é feito de fora para dentro”. O prefeito de Belo Horizonte ainda brincou dizendo que se tivesse a receita, não daria. “Se eu tivesse receita também eu não dava. Se eu soubesse – mas aí eu não sei – também não dava”.

Kalil também disse que os atleticanos já sofreram muito nas mãos dos cruzeirenses. “Sofremos igual cachorro na mão dele, quando nós caímos, Nossa Senhora! Meus meninos queriam abandonar estudo, tinham vergonha de ir para o colégio, então você imagina o sofrimento que foi”, disse. “Eu fui presidente do Atlético quando eu tinha 49 anos, eu era um menino”, completou o prefeito de BH.

Kalil na presidência

Na mesma entrevista para o Roda Viva, Kalil também comentou sobre a possibilidade de se candidatar à presidência da república em 2022. “Modéstia nunca foi o meu forte. Você já pensou se eles quiserem me carregar até pra esse lugar [à Presidência]? É claro que eu vou. Vocês estão de sacanagem comigo, né?”. O nome do prefeito de Belo Horizonte é agradável ao PSD no que diz respeito a uma candidatura para presidência.

“É aquela história que meu pai contava: ‘A Xuxa bate na porta e você fala que não é aqui?’. Não dá, mas eu não tenho nenhuma pretensão [de ser candidato a presidente ou a vice]. Eu sou prefeito reeleito de Belo Horizonte e respeito a votação massacrante que eu tive lá. Agora pera, lá. Se eu for carregado para lá, muito obrigado”, acrescentou Kalil.

Edição: Roberth Costa
Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários