Homem morto é ‘banido’ do próprio velório após família embalsamá-lo ao extremo

velório tem confusão homem embalsamado
Homem foi embalsamado e situação gerou confusão em velório (Reprodução/Newsflash)

Um homem morto foi impedido de permanecer no próprio funeral depois que o corpo dele foi levado ao local da cerimônia estranhamente sentado em uma cadeira. De acordo com o jornal The Sun, Che Lewis, 29, morreu junto do pai, Adlay Lewis, 54, quando foram baleados dentro de casa.

O corpo do jovem foi levado até a igreja, onde ocorreria o velório, na cidade de Diego Martin, em Trinidade e Tobago. O corpo foi embalsamado na posição sentada, vestido de calças brancas, terno rosa e um óculos de sol. Por esse motivo, a instituição proibiu a entrada do cortejo fúnebre.

Ainda segundo o jornal, muitas pessoas não perceberam que se tratava de uma pessoa morta, acreditando que o rapaz era um dos participantes da procissão. Alguns dos frequentadores da igreja chegaram a reclamar que o homem estava sem a máscara de proteção contra o Covid-19. Mais tarde, após a confusão, o corpo do jovem foi colocado em um caixão para ser sepultado.

O proprietário da casa funerária, que preparou o corpo do rapaz, disse ao portal jamaicano Loop News que a família dele pediu que ele fosse preparado de tal forma. Segundo o profissional, o serviço é oferecido pela empresa. “Ficamos com ele por três dias para monitorar como estava na cadeira antes de levarmos a público”, explicou.

Essa tendência pouco comum é conhecida como embalsamento extremo, onde o corpo fica preservado por meio de injeção de um componente químico que deixa o cadáver totalmente rígido.

Edição: Roberth Costa
Jordânia Andrade
Jordânia Andradejordania.andrade@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde outubro de 2020. Jornalista formada no UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) com passagens pelos veículos Sou BH, Alvorada FM e rádio Itatiaia. Atua em projetos com foco em política, diversidade e jornalismo comunitário.

Comentários