Presidente da Chape e narrador esportivo morrem vítimas da Covid-19

paulo e gustavo
Dirigente e narrador não resistiram ao novo coronavírus (Marcio Cunha/Chapecoense + Reprodução/@guganikiti/Instagram)

O presidente da Chapecoense, Paulo Ricardo Magro, de 59 anos, morreu vítima da Covid-19, nessa quarta-feira (30). O mandatário do clube catarinense estava internado desde 18 de dezembro, mas não resistiu às complicações da doença. Ele estava hospitalizado na UTI (Unidade de Terapia Intensivo). O narrador do DAZN Brasil, Gustavo Roman, de 45, também morreu nos Estados Unidos vítima da Covid.

Paulo Magro vinha apresentando melhora, mas teve uma infecção que comprometeu o funcionamento dos rins. Ele morreu no Hospital da Unimed, em Chapecó. A Chapecoense publicou nota de pesar lamentando o falecimento do presidente. “Diante da perda irreparável, o sentimento é de tristeza, mas, acima de tudo, de gratidão ao homem que entrou para a nossa história e nela se eternizou ao, novamente, reconstrui-la”, afirmou o clube.

O dirigente esportivo é considerado peça fundamental na reestruturação da Chapecoense, após a queda para a Série B do Campeonato Brasileiro. O clube está praticamente com o acesso garantido à elite do futebol nacional para 2021. “Com a sua coragem, idoneidade e sabedoria, ele permitiu que o time alviverde voltasse a trilhar um caminho vitorioso, pavimentado pela dignidade e pelo trabalho”.

⁣Atlético e Cruzeiro utilizaram as redes sociais para lamentar a morte de Paulo. O clube alvinegro enviou “condolências aos amigos, familiares e toda a comunidade de Chapecó, cidade que vive tão intensamente o dia a dia da gloriosa Chape”. A equipe celeste, por sua vez, desejou “força” ao clube catarinense “neste momento de dor e tristeza profunda”.

Narrador não resiste

O narrador e comentarista da DAZN Brasil, Gustavo Roman, também não resistiu ao agravamento da Covid-19 e morreu em um hospital dos Estados Unidos. Desde novembro, ele estava internado e, pelas redes sociais, mantinha os seguidores informados sobre o tratamento. No começo de dezembro, ele fez uma postagem dizendo que seguia em recuperação.

“Pelo menos o médico liberou que minha irmã trouxesse meu laptop e mais um livro pra ler. Preciso só melhorar a respiração e os pulmões. Os médicos acham que estou com uma pneumonia viral. E que é só questão de tempo pra tudo isso passar. Sigo forte na briga”, postou em sua última publicação, em 3 de dezembro.

O DAZN Brasil enviou nota, ao Metrópoles, lamentando a morte do profissional. “O DAZN lamenta profundamente a morte precoce de Gustavo Roman, com quem tivemos o prazer de contar como narrador e comentarista de eventos de tênis nos últimos meses. Nossos sentimentos estão com os familiares neste momento”.

Edição: Thiago Ricci
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários