Zema faz apelo a jovens no Réveillon e fala sobre pagamento de 13º

zema e reveillon
Zema usou a rede social para fazer apelo aos jovens mineiros (Reprodução/@romeuzemaoficial + Ivica Drusany/Shutterstock)

Depois de uma piora expressiva nos indicadores de várias regiões do estado, o governador Romeu Zema (Novo) fez um apelo nesta quinta-feira (31) aos jovens mineiros para que os cuidados sejam tomados durante o Réveillon. O mandatário mineiro ainda aproveitou para anunciar o pagamento de mais uma parcela do 13º salário dos servidores estaduais (veja mais informações no fim desta reportagem).

“Peço a sua ajuda, vamos ficar sem fazer aglomerações, vamos usar a máscara e respeitar o distanciamento”, afirmou Zema em vídeo publicado nas redes sociais. “Quero fazer um apelo a você, jovem, que neste final de ano quer aproveitar o Réveillon, participar de reuniões e se divertir. O problema é que o vírus está ainda no meio de nós e mesmo pessoas jovens podem se infectar e ter graves complicações”, complementou.

O gestor estadual ainda lembrou o grande risco de transmitir a doença a familiares. “O jovem pode levar o vírus para casa onde seus pais, avós ou pessoas que têm comorbidades podem se infectar. Logo teremos um ano novo melhor”, completou.

Aumento de casos

Zema também externou a sua preocupação com o aumento de casos: “Esta semana, infelizmente, tivemos piora expressiva nos indicadores de várias regiões do estado. É hora de estarmos em alerta. Vamos fazer a nossa parte para que tenhamos um 2021 muito melhor”.

Nessa quarta-feira (30), o Comitê Extraordinário Covid-19 do governo estadual incluiu duas outras regiões (Centro e Oeste) na onda vermelha do programa Minas Consciente. Com a determinação, mais de 60% das regiões do estado estão na onda mais restritiva do plano – 9 entre as 14 áreas. Nessa fase, apenas os serviços essenciais como farmácias, supermercados, padarias e bancos podem funcionar.  

Indicadores do estado no dia 30 de dezembro (Reprodução/Governo de Minas Gerais)

O novo coronavírus já infectou quase 543 mil pessoas e matou quase 12 mil. O último dia de 2020 bateu o recorde de novos casos em 24h: 6.865 infecções notificadas. Foram registradas ainda 118 mortes, conforme Boletim Epidemiológico da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), desta quinta-feira (31).

Polícia Militar

Com a alta de casos, a PMMG (Polícia Militar de Minas Gerais) manterá sua atuação preventiva nos 853 municípios mineiros, conscientizando a população e evitando aglomerações para minimizar os riscos de contaminação da Covid-19.

Segundo a SES-MG, orientações como não aglomerar, higienizar as mãos com frequência, uso de máscara e álcool em gel 70% são fundamentais para frear o avanço da pandemia no estado. 

Dessa forma, assim como foi feito no período natalino, policiais militares farão ações preventivas a fim de evitar grandes concentrações de pessoas, além de apoiar a fiscalização municipal em casos de descumprimento das normas vigentes.

Policiais militares mantêm atuação contra aglomeração no Réveillon (PMMG/Divulgação)

“Nas festas de fim ano, a preocupação maior é com a aglomeração de pessoas. Ainda estamos num momento de pandemia no qual o uso das máscaras, de álcool em gel e evitar conviver com pessoas fora do círculo familiar pode salvar vidas e evitar uma expansão maior do coronavírus ao longo deste período”, destaca a capitão Layla Brunella, porta-voz da corporação.

A porta-voz também destacou que a PMMG conta com efetivo reforçado nesse período do ano. “A PMMG permanecerá com um maior aporte ao longo do fim do ano, nas festas da virada, e durante o mês de janeiro na operação Férias Seguras”, afirmou.

Capital

Em entrevista coletiva ontem (30), o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, deu um ultimato para evitar o fechamento da capital mineira. Os índices de internação por Covid-19 da capital estão em alta e o mandatário disse apostar na responsabilidade dos belo-horizontinos para não decretar novas restrições de atividades e do comércio.

Ele lembrou que há explosão de casos no interior de Minas e disse não ter receio de fechar a cidade. No início do mês, a prefeitura já tinha proibido a venda de bebidas alcóolicas em bares, restaurantes, padarias, praças de alimentação e feiras da capital, e realizado veto às festas de Réveillon.

Na ocasião, a PBH anunciou que suspenderia o licenciamento de eventos gastronômicos, shows e espetáculos. Foram vetados inclusive daqueles que já tinham enviado o pedido para a prefeitura, mas ainda não tinham obtido uma resposta. Essas foram medidas tomadas para tentar controlar o avanço dos casos.

Indicadores da PBH do dia 30 de dezembro (Reprodução/PBH)

Segundo o último boletim epidemiológico da capital, de ontem (30), Belo Horizonte tem quase 63 mil casos confirmados de Covid-19, 1.858 óbitos, e a ocupação de leitos de UTI está na fase vermelha, com 79% de lotação. Já os leitos de enfermaria se encontram no nível amarelo, e a taxa de transmissão, na fase verde.

13º salário

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), anunciou, nesta quarta-feira (30), o pagamento de mais uma parcela do 13º salário dos servidores estaduais. Na próxima quarta-feira (6), será feito um novo depósito de até R$ 2 mil a todos os servidores que ainda têm valores a receber.

Assim, o Governo de Minas terá quitado integralmente o benefício para quem tem direito a receber até R$ 4 mil, o que representa 72% dos servidores ativos e inativos. Na última semana, no dia 23, já havia sido feito um primeiro pagamento de até R$ 2 mil para todo o funcionalismo. Nesta segunda parcela, serão gastos mais de R$ 565 milhões.

“Com isso, três a cada quatro servidores terão recebido o 13º integral. Fazemos esse pagamento com recursos da Lei Kandir, que chegam nesta quinta ao Estado, e com recursos que conseguimos devido à boa gestão”, afirmou Zema em suas redes sociais.

Com Agência Minas

Edição: Thiago Ricci

Comentários