Kalil oferece leitos de UTIs de BH para crianças de Manaus: ‘Que país é esse?’

Kalil disponibliza leitos em bh para manaus
Prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, publicou mensagem no Twitter (Amanda Dias/BHAZ)

A situação caótica nos hospitais públicos de Manaus, no Amazonas, vem comovendo governantes de estados e municípios brasileiros. Desta vez, foi a vez do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), de mostrar solidariedade aos cidadãos da capital amazonense.

O prefeito de BH publicou no perfil dele no Twitter, na noite de hoje (15), que há vagas disponíveis nas UTIs (Unidade de Tratamento Intensivo) da capital para receber as crianças de Manaus.

A cidade vem sofrendo com a crise sem precedentes na saúde pública, onde há falta de oxigênio nos cilindros de O2 dos hospitais. Segundo reportagem do Correio Braziliense, a situação mais grave foi no Hospital Universitário Getúlio Vargas, onde pacientes de uma ala inteira teriam morrido asfixiados. 

Apoio conjunto

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), também anunciou que o estado vai disponibilizar leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para atender crianças do Amazonas, na tarde de hoje (15). Na manhã de hoje, o governo do AM fez um pedido aos outros estados brasileiros para transferir pelo menos 60 bebês prematuros para outros hospitais.

“Equipes de saúde estão operacionalizando o transporte das crianças para Minas. Nós, mineiros, que já fomos muito ajudados em momentos de dor, estamos solidários”, escreveu Romeu Zema no Twitter. De acordo com o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, a ajuda do governo mineiro é viável graças à baixa ocupação de leitos pediátricos em Minas Gerais.

“Recebemos a solicitação do Ministério da Saúde para socorro ao Amazonas. Neste momento, a secretaria está se preparando para receber essas crianças. É importante lembrar que temos uma ocupação baixa de leitos pediátricos no estado, diferente da ocupação de leitos de adultos. Temos que lembrar que o SUS é um sistema único, precisamos apoiar o Amazonas neste momento”, afirmou o secretário em visita a Juiz de Fora, na Zona da Mata.

Crianças em risco

As crianças estão internadas em centros de saúde de Manaus, e correm risco de ficar sem oxigênio, enquanto o Amazonas passa por um colapso no sistema de saúde. Hospitais sofrem com a falta de cilindros de oxigênio para pacientes com Covid-19 e para outros que necessitam do insumo, como alguns recém-nascidos.

De acordo com a CNN Brasil, o pedido foi para que os governadores conferissem se há leitos de internação neonatal disponíveis nos hospitais dos estados. O presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e secretário de saúde do Maranhão, Carlos Lula, confirmou a informação.

Conforme dito por Carlos Lula, o Maranhão disse que será capaz de receber cerca de 5 a 10 dos bebês prematuros. Ainda não está definida a logística para tornar possível a transferência das crianças. Os demais estados brasileiros estão verificando suas capacidades hospitalares para saber quantos bebês conseguem receber.

Jordânia Andrade
Jordânia Andradejordania.andrade@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde outubro de 2020. Jornalista formada no UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) com passagens pelos veículos Sou BH, Alvorada FM e rádio Itatiaia. Atua em projetos com foco em política, diversidade e jornalismo comunitário.

Comentários