Lula e comitiva tiveram Covid-19 e fizeram quarentena em Cuba

Lula em Cuba
No final da viagem, Lula se encontrou com o presidente Miguel Díaz-Canel e com o ex-presidente Raúl Castro. (Ricardo Stuckert/Divulgação)

O ex-presidente Lula testou positivo para Covid-19 no dia 26 de dezembro, enquanto estava em Cuba, e cumpriu 14 dias de quarentena no país. Ele voltou ao Brasil nessa quarta-feira (20), depois de viajar para participar do início das gravações de um documentário sobre a América Latina. O longa é dirigido e produzido pelo cineasta Oliver Stone.

A informação de que Lula se tratou da Covid em Cuba foi divulgada pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, e confirmada pela equipe do ex-presidente, por meio de nota divulgada nesta quinta-feira (21). Lula estava em Cuba desde 21 de dezembro, e os protocolos de testagem para Covid-19 determinados pelo país fizeram com que a doença fosse descoberta.

De acordo com o comunicado, o ex-presidente, a esposa dele, Rosangela Silva (Janja), e os sete integrantes da comitiva foram submetidos aos testes antes de viajar e no dia da chegada no país. O protocolo previa, ainda, que os exames fossem repetidos no dia 26 de dezembro, quando a doença foi detectada em oito dos nove viajantes. A jornalista Nicole Briones teve resultado negativo.

Isolamento

Depois de receberem o diagnóstico, ainda de acordo com o comunicado, “todos permaneceram em isolamento sob vigilância sanitária, respeitando os protocolos do sistema de saúde cubano”. Médico infectologista, ex-ministro da Saúde e deputado federal, Alexandre Padilha foi comunicado e acompanhou a evolução dos casos.

O escritor Fernando Morais foi o único membro da comitiva hospitalizado. Ele passou os 14 dias internado, sob observação, por complicações pulmonares. O ex-presidente Lula foi diagnosticado em tomografia computadorizada com lesões pulmonares compatíveis com broncopneumonia associada à Covid19, e, segundo comunicado, teve “excelente recuperação”.

“Eu e toda minha equipe somos agradecidos à dedicação dos profissionais de saúde e do sistema de saúde pública cubano que estiveram conosco no cuidado diário. Agradeço ao governo de Cuba e a todos que estiveram conosco, de coração. Jamais esqueceremos a solidariedade cubana e o compromisso com a ciência de seus profissionais”, afirmou Lula.

“Estou preparado pra tomar a vacina, assim que tivermos vacina para todos. Sigo esperando minha vez na fila, com o braço à disposição para tomar assim que puder. E enquanto todos não se vacinam, vou continuar com máscara, evitando aglomerações e passando muito álcool gel”, completou.

Edição: Roberth Costa
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários