Ainda dá? Galo bate o Santos reserva e sonha com arrancada milagrosa

savarino comemora gol galo santos brasileirão
Savarino manteve fase estupenda e garantiu os dois gols (Rodney Costa/Futura Press/Folhapress)

Depois de dois resultados ruins e uma semana recheada de protestos, o Atlético voltou a encontrar a vitória. O Galo bateu o Santos na noite desta terça-feira (26), no Mineirão, por 2 a 0, e ainda alimenta a esperança de protagonizar uma arrancada impecável para conquistar o Brasileirão após quase 50 anos. Além disso, os comandados de Sampaoli, enfim, tiram o asterisco da tabela e igualam o número de partidas da maioria.

Agora com 32 jogos e sem partidas adiadas para fazer – o duelo com o Santos foi válido pela 28ª rodada, disputada no início do mês -, o Atlético tem seis rodadas para tirar cinco pontos do líder Inter. Improvável, mas, depois da derrocada do São Paulo e da arrancada do próprio Colorado, impossível não é. Para isso, precisa vencer novamente no domingo (31), quando encara o Fortaleza, também no Mineirão.

Começou nos 220V

Jogando contra o time reserva do Santos, o Galo entendeu a importância da vitória para continuar sonhando com o título. Dito e feito: a partida começou com pressão do time mineiro, que, no primeiro lance perigoso, já abriu o placar. Logo aos 2 minutos, após bate e rebate da zaga paulista, Savarino tabelou com Nathan, saiu na cara do gol e chutou forte direto para as redes. 

O Galo quase ampliou aos 12 do 1T, com boa cobrança de falta de Hyoran defendida pelo goleiro John Victor.

Savarino 2 x 0 Santos

Os garotos do Santos davam espaços – e o Galo aproveitava, é claro. Aos 18 do 1T, Savarino anotou o segundo dele no jogo. Keno pegou a sobra na entrada da área e lançou uma linda bola para o venezuelano, que chutou forte, sem chances para John Victor.

Esse foi o 10º gol do atacante venezuelano e a 8ª assistência do Keno na temporada 2020/21, demonstrando a alta participação dos jogadores em gols do time alvinegro. 

Acordou!

O time paulista tentou não se abalar com a desvantagem e também procurou o ataque. Aos 37 do 1T, Guilherme Nunes foi à linha de fundo e cruzou nos pés de Marcos Leonardo, que chutou de primeira para grande defesa de Everson. Apenas 5 minutos depois, os Meninos da Vila ameaçaram de novo: o mesmo Marcos pegou de primeira e quase fez um lindo gol de voleio, mas a bola foi na trave.

Na volta para o 2T, o Peixe continuou tentando a reação. Aos 15 minutos, Arthur Gomes pedalou na área e disparou um chute cruzado perigoso. O arqueiro Everson foi obrigado a trabalhar novamente.

Por favor, meu Deus’

Para a preocupação da torcida e do técnico Sampaoli, o Galo perdeu um jogador importante aos 24 do 2T. O atacante Keno caiu de mau jeito após uma dividida, ficou sentindo muitas dores, e teve de ser substituído por Vargas. Com a possível gravidade da lesão, o atacante corre risco de ficar longe dos gramados por um tempo.

Além dessa possibilidade, tranquilidade para o atleticano. O Galo segurou a vantagem construída no início do jogo e ainda segue forte para tentar, enfim, conquistar o bi.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 2 X 0 SANTOS

Data: 26 de janeiro de 2021 (terça-feira)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Horário: 20h (de Brasília)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta (PR)
VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)
Cartões amarelos: Atlético: Jair. Santos: Arthur Gomes

GOLS:
Atlético: Savarino (2), aos 2 e 18 minutos do 1T

Atlético: Everson, Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana (Igor Rabello); Jair, Hyoran (Allan) e Nathan (Vargas); Savarino, Keno (Savinho) e Eduardo Sasha (Calebe)
Técnico: Jorge Sampaoli

Santos: John, Madson, Laércio, Luiz Felipe e Wagner Leonardo (Wellington Tim); Vinicius Balieiro, Guilherme Nunes e Jean Mota (Lucas Lourenço): Tailson (Bruno Marques), Arthur Gomes (Ivonei) e Marcos Leonardo (Renyer)
Técnico: Cuca

Edição: Thiago Ricci
Beatriz Kalil Othero
Beatriz Kalil Otherobeatrizkof@gmail.com

Mineira de BH, graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre os jogos dos times mineiros como repórter freelancer para o BHAZ.

Comentários