‘Chuva do mês’ em um dia espalha estragos e assusta moradores em BH

estragos da chuva em bh
Chuva provocou alagamentos, deslizamentos e preocupou moradores em BH (Reprodução/Twitter/@luannaramalho65 + PMMG/Divulgação + Corpo de Bombeiros/Divulgação)

As fortes chuvas que atingiram Belo Horizonte neste domingo (7) foram mais do que o esperado para todos os 28 dias de fevereiro na capital. Segundo a Defesa Civil municipal, o volume de chuva registrado em apenas 12 horas ultrapassou a média histórica do mês – e as consequências ficaram evidentes. Apenas entre a noite da última sexta (5) e a manhã de hoje (8), o Corpo de Bombeiros recebeu 59 chamados relacionados às chuvas na região metropolitana. A lista de prejuízos inclui alagamentos em pontos críticos, deslizamentos de terra, desabamentos, danos em imóveis e até mesmo dezenas de pessoas ilhadas.

Ao todo, os bombeiros foram mobilizados para 12 pontos de inundações e enchentes na Grande BH. Imagens surpreendentes compartilhadas nas redes sociais mostram pontos da avenida Cristiano Machado e da estação São Gabriel completamente alagadas. Motoristas que passavam pela região ficaram assustados e moradores cobraram uma atitude das autoridades. “A negligência dos nossos governantes causa mais uma tragédia a milhares de famílias. Até quando a chuva vai ser sinônimo de medo para os belo-horizontinos?”, lamentou uma jovem.

Outro ponto que ficou totalmente tomado pela água foi a estação Vilarinho. Nos vídeos, é possível ver que as vias onde são feitas as manobras do metrô e o estacionamento de trens da região ficaram quase completamente cobertos. Até o momento, ainda não há registro de vítimas em nenhuma das estações.

Desabamentos

Ao longo da tarde e início da noite, os desabamentos e deslizamentos de terra também ameaçaram a segurança dos belo-horizontinos. Os bombeiros precisaram intervir em cinco pontos diferentes da capital. O alerta voltou também para os imóveis irregulares, onde os moradores vivem em situação de risco ainda maior. É o caso de 30 moradores que ficaram isolados após a queda de uma construção no Aglomerado da Serra, na região Centro-Sul.

De acordo com a Defesa Civil, o prédio de quatro andares acabou não suportando o impacto das chuvas. Com o colapso, a edificação bloqueou um beco e isolou moradores de outras 13 casas. Eles precisaram ser resgatados pelo Corpo de Bombeiros e foram encaminhados para ficar com vizinhos e parentes e o local ainda receberá uma equipe da PBH, que vai avaliar a situação.

Outro estrago aconteceu ainda na tarde de ontem, no bairro Nova Gameleira, na região Oeste da capital. De acordo com os bombeiros, um muro desabou na avenida Amazonas e acabou deslocando um restaurante. As pessoas que estavam no local ficaram preocupadas com um forte cheiro de gás que surgiu após a queda e acionaram os militares, mas eles não encontraram nenhuma vítima e o cheiro se dissipou.

muro desaba nova gameleira
Muro caiu sobre restaurante, mas ninguém ficou ferido (PMMG/Divulgação)

Também na tarde de ontem, um deslizamento de terra no bairro Carlos Prates, região Noroeste de BH, mobilizou as autoridades. Segundo os bombeiros, o deslizamento de grandes proporções atingiu três caminhões e ameaçou três casas que ficavam no barranco. A Defesa Civil esteve no local e realizou a interdição parcial de duas residências. Os moradores não precisaram sair, mas foram orientados sobre os riscos. Até o momento, há registro de apenas uma vítima de soterramento na capital e mais de cinco vistorias em pontos de risco. Nenhum óbito foi constatado.

Ilhados

Por outro lado, não foram poucos os que correram riscos sérios. Dezenas de pessoas ficaram ilhadas na capital e na região metropolitana, muitas delas sem condições de saírem sozinhas. Na região da Pampulha, os bombeiros precisaram utilizar botes para resgatar 21 pessoas que ficaram ilhadas na rua Lucio Bittencourt. Entre o grupo, havia crianças e outros moradores que estavam no segundo andar de um prédio.

Em Contagem, na Grande BH, oito famílias também precisaram ser resgatadas após ficar ilhadas no bairro Novo Boa Vista. Os bombeiros estiveram no local e, como não era possível acessar com os barcos, precisaram carregar os moradores – inclusive idosos – no colo.

E outros pontos também ficaram ameaçados. Ao longo do fim de semana, apenas na região metropolitana de BH, os bombeiros registraram 34 ocorrências de salvamento de pessoas em alagamentos e outras dez de salvamento de pessoas ilhadas.

Vai ter trégua?

Apesar de o volume de chuva e a quantidade de riscos já terem sido suficientes para o mês inteiro, ainda não será nesta segunda que a situação vai melhorar. De acordo com a Defesa Civil, a previsão é de que o dia seja tomado por novas pancadas de chuva e possíveis trovoadas. A chuva deve persistir ao longo da semana, mas o volume já começa a diminuir nesta terça-feira (9).

Edição: Thiago Ricci
Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Repórter no BHAZ desde outubro de 2019. Jornalista graduada pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) e com atuação focada nas editorias de Cidades, Guia e Cultura.

Comentários