Padre Robson diz a advogado que a morte de desafeto seria ‘uma bênção’

padre-robson-de-oliveira
Sacerdote está sendo investigado pelo Ministério Público de Goiás por lavagem de dinheiro da Associação Filhos do Pai Eterno (Reprodução/@padrerobsonoliveira/Instagram)

Alvo de uma operação do Ministério Público, padre Robson de Oliveira teria dito que seria conveniente a morte de um dirigente da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). É o que revelam gravações dos equipamentos do sacerdote às quais o Fantástico, da TV Globo, teve acesso. O religioso é suspeito de ter desviado dinheiro da associação e o desafeto dele seria Anderson Fernandes.

Segundo a investigação, Anderson está envolvido em esquemas de subordinação. No áudio enviado ao seu advogado, padre Robson de Oliveira diz que seria uma bênção se o dirigente morresse. “Se você pudesse matar ele para mim, eu achava uma bênção. Acaba com esse cara, bicho. Isso aí só vai atrapalhar nossa vida. Para mim, até hoje, foi um atraso”.

A defesa do padre disse que não possui conhecimento do conteúdo de tais mensagens, e que elas são “frutos de montagens e adulterações feitas por pessoas inescrupulosas”. Além do mais, o advogado disse que padre Robson de Oliveira está sendo vítima de extorsão e de perseguição.

Anderson Fernandes disse que o pedido do sacerdote pela sua morte é claramente uma brincadeira. De acordo com o dirigente, padre Robson tem o costume da falar coisas do tipo, inclusive na frente dele. O integrante da Afipe também disse que a gravação é claramente uma montagem, e que a utilização dela está sendo feita de forma descontextualizada e errônea.

‘Extorsão pura’

Os áudios também revelaram que Padre Robson subornava várias pessoas, incluindo o jornalista Tyrone Di Martino, que é casado com Talitta de Martino. Segundo as investigações, a mulher trabalha na Afipe e possuía um relacionamento amoroso com o sacerdote. Portanto, suspeita-se que Robson de Oliveira tenha pagado ao jornalista R$ 350 mil, com a justificativa de que teria sido para Tyrone escrever uma biografia do padre.

No entanto, o conteúdo dos áudios desmente a contratação do serviço, quando o padre diz para Talitta: “Você acha que eu ia dar R$ 350 mil pra ele por um servicinho daquele de biografia da minha vida? Aquilo foi extorsão, Talitta. Extorsão pura”.

Áudios passaram por perícia

De acordo com os investigadores da operação, todos os áudios passaram por perícia técnica, e ficou comprovado serem realmente do religioso. Dentre os materiais apreendidos, o áudio estava em HDs, computadores e no celular de padre Robson de Oliveira. O Ministério Público de Goiás também teve acesso a uma troca de e-mails entre Rouane Caroline Martins, que também é dirigente da Afipe, e Anderson Fernandes.

No conteúdo do e-mail, ficou claro para a investigação a intenção de ambos em proteger padre Robson. “Anderson, temos que proteger o padre. Se colocarem as mãos em determinados documentos, vai todo mundo preso”, dizia a mensagem trocada.

Lavagem de dinheiro

O Ministério Público de Goiás investiga padre Robson de Oliveira na operação chamada “Operação Vendilhões”. O sacerdote é acusado de ser o comandante de esquemas de lavagem de dinheiro, apropriação indébita e falsidade ideológica nas “Afipes”. As associações Filho do Pai Eterno são criações do padre, e movimentaram cerca de R$ 2 bilhões em dez anos.

Conforme a investigação, o dinheiro foi usado para a compra de fazendas, de um avião e de uma casa de praia. Em dezembro do ano passado, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) suspendeu as investigações. Contudo, o Ministério Público de Goiás entrou com um recurso para conseguir dar continuidade – o que ainda não foi analisado pela Justiça.

A Associação Filhos do Pai Eterno publicou, nas redes sociais, uma nota de esclarecimento, no início da tarde desta segunda-feira (22). A entidade disse que “desconhecia os fatos contidos na matéria veiculada no programa Fantástico da TV Globo, no domingo, 21 de fevereiro de 2021”. A nota também esclarece que Talitta Di Martino não trabalha na associação desde 2018.

Além disso, a associação reafirmou que Padre Robson não é mais o presidente. “O ex-presidente não tem contato com a nova Diretoria e que o novo reitor do Santuário de Trindade, desde setembro de 2020, é o Pe. João Paulo Santos de Souza”, informaram.

Confira a nota de esclarecimento completa:

Edição: Thiago Ricci
Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários