Três pessoas da mesma família são encontradas mortas no interior de MG

Santa Maria de Itabira Corpo de Bombeiros Zema chuvas inundação
Cidade mineira foi fortemente afetada pelas chuvas (Corpo de Bombeiros de Minas Gerais/Divulgação)

Três pessoas da mesma família foram encontradas mortas nas últimas horas em Santa Maria de Itabira, na região Central de Minas. A cidade foi atingida por chuvas fortes nesse domingo (21) e, ao todo, já são cinco vítimas encontradas sem vida sob escombros – um garoto de 5 anos ainda é procurado. Em BH, pancadas e o consequente risco de alagamento levaram à interdição de via na madrugada de hoje (22) – e a previsão é de mais chuva.

Na cidade perto de Itabira e João Monlevade, duas mulheres e um homem localizados nesta madrugada pelo Corpo de Bombeiros se encontravam soterrados, faziam parte da mesma família e já foram identificados pelos parentes. As idades ainda não foram divulgadas. Os militares se concentram agora na busca do último desaparecido na cidade pelas chuvas, um menino de apenas 5 anos.

Nesse domingo (21), mais dois óbitos já haviam sido confirmados. Um homem de 39 anos morreu soterrado após a casa desabar, no bairro Poção, e uma mulher foi encontrado sem vida pelos militares no bairro Fazenda do Oriente. No total, 11 ocorrências foram registradas pela corporação nos bairros Lambari, Nova Santa Maria, Centro, Poção e Cidade Nova, todos de Santa Maria de Itabira.

Além das mortes, muitas famílias ficaram ilhadas e precisaram ser retiradas pelos bombeiros. Dez pessoas ficaram feridas. Os bombeiros também atuaram em acionamentos de enchente e inundação, desabamento, e corte de árvore caída em via pública.

Vistoria

Na noite desse domingo (21), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, esteve no município com cerca de 11 mil habitantes e se encontrou com autoridades locais, prestou solidariedade e conversou com moradores afetados pelas enchentes. 

O governador conversou com a Defesa Civil Estadual e os bombeiros (Corpo de Bombeiros de Minas Gerais/Divulgação)

“Lamento muito que tivemos perdas de vidas, mas conversando aqui com o prefeito, ele me disse que a última situação semelhante aconteceu há 42 anos. Então, realmente é algo que não é comum aqui na cidade, um volume de chuvas tão intenso em tão curto intervalo de tempo. Mas tudo aquilo que está ao nosso alcance, no sentido de resgatar as vítimas e, agora, atender a população atingida, está sendo feito’’, declarou o governador, durante entrevista coletiva.

Zema também comentou sobre uma possível ajuda do governo federal. “A Defesa Civil já está enviando material de limpeza, ajuda para aqueles que foram atingidos. E a prefeitura com certeza deve estar decretando situação de calamidade pública e isso vai permitir que o governo federal envie ajuda para que ela recupere toda a infraestrutura municipal que foi afetada, ruas, pavimentação, pontes etc.”, informou o governador. 

De acordo com os bombeiros, ficou acertado entre a prefeitura e a Defesa Civil que, até então, não será necessária uma campanha de donativos para as vítimas de Santa Maria. “Eles já estão recebendo doações suficientes dos moradores locais que estão sendo recebidas no Centro Cultural da cidade”, informou a corporação.

Alagamento em BH

Em Belo Horizonte, a forte chuva também causou transtorno, mas durante a madrugada de hoje. Por conta da possibilidade de transbordamento do Ribeirão da Onça, a Defesa Civil da cidade interditou a Via 240, na Estação São Gabriel, na região Nordeste da capital. O desbloqueio aconteceu ainda na madrugada, por volta de 4h, pelas equipes operacionais.

Em oito regionais já choveu o dobro da média histórica em fevereiro – mesmo a uma semana para o fim do mês. Apesar dos volumes, não foram registrados transbordamentos dos córregos. Às 3h36, chovia em toda BH, sendo que nas regionais Venda Nova, Pampulha, Norte e Nordeste, a chuva era forte. Já nas regionais Noroeste, Centro-Sul e Leste, a chuva era fraca, enquanto no Barreiro e Oeste, moderada.

Intensidade da chuva nas regionais da capital às 3h36 (Reprodução/Defesa Civil de Belo Horizonte)

Segundo a Defesa Civil em comunicado emitido na manhã desta segunda-feira (22), as regiões Norte, Nordeste, Leste e Barreiro têm uma forte tendência de risco geológico. O alerta é válido até quarta-feira (24).

Para hoje, a previsão meteorológica indica que o dia será de céu nublado a encoberto com pancadas de chuva e trovoadas isoladas. A temperatura mínima foi de 16°C, a máxima estimada é de 28°C e a umidade relativa mínima do ar em torno de 55% à tarde. A maior chuva da semana está prevista para a sexta-feira (26).

A Defesa Civil de Belo Horizonte também informa que a região Noroeste da cidade já registrou 480 mm (milímetros) de chuva, o que corresponde a 264% do esperado para todo o mês. O Barreiro, por sua vez, foi o ponto que mais choveu nesta noite: 101,2 mm, apenas em 12 horas: das 18h de ontem às 6h desta segunda. A média climatológica do mês é de 181,4 mm. Veja o acumulado de chuva, em mm:

Das 18h de ontem às 6h desta segunda:

  • Barreiro – 101,2
  • Centro-Sul – 39,4
  • Leste – 49,8
  • Nordeste – 69,2
  • Noroeste – 39,2
  • Norte – 74,2
  • Oeste – 36,6
  • Pampulha – 58,0
  • Venda Nova – 34,4

Em fevereiro, até às 6h de hoje (22):

  • Barreiro – 468,8 (258,4%)
  • Centro-Sul – 466,4 (257,1%)
  • Leste – 408,8 (255,4%)
  • Nordeste – 436,2 (240,5%)
  • Noroeste – 480,0 (264,0%)
  • Norte – 424,4 (234,0%)
  • Oeste – 346,8 (191,2%)
  • Pampulha – 396,2 (218,4%)
  • Venda Nova – 365,8 (201,7%)

Edição: Thiago Ricci

Comentários