Cine Santa Tereza reabre ao público nesta quarta com entrada gratuita

Cine Santa Tereza
Cine Santa Tereza retorna com filmes infantis e que abordam questão racial (Ricardo Laf/PBH)

O MIS Cine Santa Tereza, um dos últimos cinemas de rua na capital mineira, vai reabrir as portas para o público nesta quarta-feira (24). O retorno se dá pelo decreto da PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) que voltou a autorizar o funcionamento de cinemas, sem restrição de horário. A entrada continua gratuita.

Até o final de março, a programação contará com duas mostras, uma voltada a toda a família, incluindo filmes de animação de estúdios consagrados como Pixar e Disney, e outra que apresentará uma seleção de filmes que abordam a questão racial, incluindo algumas das principais produções da atualidade.

No espaço, também será inaugurada a exposição “Cinema Cubano em Cartaz”, que narra parte do processo histórico da produção cinematográfica cubana na segunda metade do século 20, por meio de cartazes do artista gráfico Eduardo Bachs, um dos principais nomes da escola de pôsteres de filmes do país. Toda a programação é gratuita.

De acordo com a prefeitura, o cinema funcionará atendendo a todos os protocolos de prevenção ao contágio pela Covid-19, incluindo a retirada antecipada de ingressos gratuitos para as sessões de cinema pelo portal da prefeitura.

Entre os cuidados adotados no espaço, está a redução da ocupação da sala de cinema, que teve sua capacidade limitada a 50%, além da demarcação dos assentos com distanciamento e a retirada gratuita de ingressos exclusivamente em plataforma virtual.

“Outras medidas importantes são o estabelecimento de protocolo de saída da sala de cinema após as sessões; o distanciamento mínimo de 2 metros entre as pessoas nas áreas de circulação e na área expositiva; o controle do fluxo de visitação e circulação, de forma a evitar aglomerações”, informou a prefeitura.

“Além disso, a disponibilização de dispensadores com álcool 70% no acesso aos espaços; o aumento de intervalo entre as sessões para higienização dos ambientes; além da restrição do consumo de alimentos e bebidas na sala de cinema, e a obrigatoriedade do uso de máscara em todos os espaços”.

Filmes

A “Sessão Infantil Cine Santê – Animação para toda a família”, com exibições entre os dias 24 de fevereiro a 28 de março, traz uma seleção especial de longas de animação, que estarão em cartaz sempre às 16h30. Serão apresentados os filmes “Viva a Vida é uma Festa”, “Divertida Mente”, ‘Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica’, “Monstros S.A.” e “Valente”.

Outra programação confirmada é a “Sessão Cine Santê: Cinema negro americano em destaque”, com filmes da atualidade que abordam a questão racial, e serão exibidos sempre às 19h. A programação estará em cartaz até o dia 28 de março. O longa “Pantera Negra”, que traz a história do herói dos quadrinhos, estrelado por Chadwick Boseman, é um dos selecionados, e traz uma produção composta majoritariamente de artistas e técnicos negros, cuja estética e música se alicerçam na cultura originária africana.

Também serão exibidos “Infiltrado na Klan”, do consagrado diretor americano Spike Lee; “Selma”, título que fez com que Ava Duvernay se tornasse a primeira diretora negra a ter seu filme nomeado para o Oscar de Melhor Filme; e duas obras do diretor Jordan Peele, conhecido por suas produções no gênero terror, incluindo “Corra!”, que fez com que o diretor se tornasse o primeiro diretor negro a receber o Oscar de melhor roteiro adaptado, e o longa “Nós”.

Exposição Cinema Cubano

Na exposição ‘Cinema Cubano em Cartaz’, apresentada na área interna do MIS Cine Santa Tereza, os cartazes de Eduardo Bachs exploram cores, formas, texturas e elementos gráficos que fazem referência a grandes escolas e movimentos artísticos, como a pop art, o Push Pin Studios de Nova York e aos pôsteres de filmes do Leste Europeu. Usando técnicas de desenho e impressos em serigrafia, suas produções são um grande exemplo do diálogo existente entre as artes gráficas e a sétima arte.

A partir dessas misturas, o artista propõe um estilo original e inventivo, que vai do uso de imagens satíricas ao conteúdo crítico e dramático. Seus cartazes se tornaram grandes objetos de valor histórico e cultural, sendo considerados bastante raros, principalmente por conta de sua tiragem reduzida, além de preservarem um momento fundamental da história do cinema mundial. As peças fazem parte do acervo iconográfico do Museu da Imagem e do Som (MIS-BH).

Nascido em 1936, em Valência, na Espanha, Eduardo Bachs mudou-se para Cuba quando criança, em 1941. Foi no país latino-americano que construiu sua trajetória como artista gráfico e designer, e se tornou um nome central para o cinema e para o Instituto Cubano de Arte e Indústria Cinematográfica. Junto com outros grandes designers, como Azcuy, Damian, Dimas, Julio Eloy, Niko, Reboiro e Raul Martinez, Bachs inaugurou uma importante escola de artes gráficas na América Latina, ao imprimir sua assinatura em diversos pôsteres do cinema cubano, num período de pós-revolução no país e que se espalhou pelo restante do continente americano.

O acesso à exposição é exclusivamente voltado ao público das sessões de cinema, mediante retirada de ingresso pelo portal da Prefeitura.

Funcionamento

Endereço: Rua Estrela do Sul, 89 – Santa Tereza
Entrada gratuita
Visitação de quarta-feira a domingo, das 16h às 19h30
Telefone: (31) 3277-4699

Com PBH

Edição: Thiago Ricci

Comentários