Subtenente armazenava vídeos de adolescentes em cenas de sexo

sede corpo de bombeiros do distrito federal
Subtenente flagrado com menino é lotado no Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (Paulo H. Carvalho/Agência Brasília)

Por Carlos Carone

O celular apreendido por policiais civis da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) durante a prisão do subtenente do Corpo de Bombeiros (CBMDF) será encaminhado para o Instituto de Criminalística (IC), onde será periciado. O aparelho era usado pelo militar para armazenar vídeos e fotografias de crianças e adolescentes fazendo sexo. Ele foi detido em flagrante no sábado (22), quando estava com um adolescente de 13 no carro se preparando para ir a um motel.

Os investigadores procuram por outras vítimas, crianças e jovens que podem ter sido aliciadas pelo acusado. Além de integrar os quadros da corporação, o subtenente dava aulas de natação em uma escola privada, no Gama. No aparelho dele imagens, inclusive, de crianças menores de 10 anos em poses sexuais e pelo menos um vídeo do adolescente que estava em sua companhia. Os investigadores já monitoravam o garoto após a mãe dele ter descoberto mensagens com conteúdo sexual trocadas por meio de aplicativo entre o menino e o militar.

Em seu depoimento na delegacia, o suspeito afirmou que conheceu o menino através de um site de relacionamento e que ele se apresentava como um rapaz de 18 anos. No entanto, já pessoalmente, o garoto disse que tinha 14 anos, e não 13, como de fato tem. Com isso, o estupro de vulnerável fica configurado.

Leia a reportagem completa no Metrópoles, parceiro do BHAZ.

Comentários