Idosa cai em grota e fica 10 dias bebendo água de chuva para sobreviver

idosa cai em grota curvelo
Idosa foi resgatada após nove dias no local (Rpeorudção/InterTV)

Uma idosa de 76 anos passou nove dias desaparecida após cair em uma grota na cidade de Curvelo, na região Central de Minas Gerais. Geralda Malaquias estava voltando para casa no último dia 14 quando se perdeu e acabou caindo na grota, de onde não teve forças para sair sozinha. A cuidadora da mulher contou ao BHAZ que, durante os dias em que esteve desaparecida, ela gritava incansavelmente por socorro, não comeu nada e precisou beber água da chuva para sobreviver.

“Ela desceu [do táxi] perto de uma igrejinha, aí falou que não morava lá e pediu para o motorista deixar ela numa padaria que era na esquina da casa dela. Aí ele deixou ela lá, só que ela não foi para casa”, conta Crisley Mirella Pereira Rocha. A cuidadora da idosa explica que, em vez de ir em direção à casa, a mulher andou no sentido oposto – e acabou se perdendo.

Geralda foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros nessa segunda-feira (22), após ser localizada por um militar veterano. De acordo com a corporação, a idosa estava deitada no meio do mato, consciente e orientada, mas com sinais de fraturas nas pernas. Ela foi conduzida a um hospital da cidade, onde está até hoje recebendo atendimento – e, felizmente, fora de risco.

Gritos por socorro

“Ela me fala que foi para aquele lado, escorregou, caiu e não teve força para subir, mas que não estava com ninguém”, conta Crisley, que, a princípio, temeu que a situação tivesse sido causada por alguém. “Já conversei com ela, já perguntei e ela fala que não. Ela nem fala que foi sozinha, diz que ‘foi com Deus’ e infelizmente escorregou, porque estava molhado de chuva e caiu bem lá embaixo”, explica.

A altura da queda não foi informada pelas autoridades, mas Crisley conta que a mulher não conseguiria escapar sozinha. Além dessa dificuldade e das dores dos ferimentos, a idosa ainda teve que encarar quase dez dias de desespero.

“A gente estava conversando com ela agora, a médica veio aqui e ela falou que ficou um tempão deitada, gritando, pedindo socorro, falou que teve que tomar água da chuva”, afirma a cuidadora. Crisley lembra ainda que, quando foi encontrada, a mulher estava muito fraca, mas que já se recupera bem. “Ela está bem melhor. Estava muito fraca por causa do tempo sem comer, mas agora já está bem, conversando…”, diz.

Edição: Roberth Costa
Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Repórter no BHAZ desde outubro de 2019. Jornalista graduada pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) e com atuação focada nas editorias de Cidades, Guia e Cultura.

Comentários