Aplicação de multa para motoristas sem máscara em BH é FARSA

motorista de máscara trânsito
Uso do item dentro de carros não é obrigatório, mas especialistas recomendam (Roberth Costa/BHAZ + Amanda Dias/BHAZ)

Voltou a circular nas redes sociais um boato de que os motoristas que fossem pegos dirigindo sem máscara poderiam ser multados em Belo Horizonte. O “alerta” afirma que a falta da máscara no trânsito seria passível de multa a partir dessa terça-feira (23). No entanto, trata-se, mais uma vez, de uma informação falsa, conforme o Detran-MG (Departamento de Trânsito de Minas Gerais).

A mensagem, que tem rodado no WhatsApp desde o início da semana, afirma que O Detran-MG e a Polícia Militar estariam orientados a aplicar multa no valor de R$ 128 para todos que não fizessem o uso do item. “Multa vem como: dirigir sem uso de itens de segurança 3 pontos na carteira. Isso serve para motos também”, diz um trecho. O viral termina com um pedido de “ajuda” para fazer a mensagem chegar ao máximo de pessoas possível.

fake news máscara no trânsito
Mensagem diz que falsa medida passaria a valer nesta semana (Reprodução/Whatsapp)

O BHAZ entrou em contato com o Detran-MG, que esclareceu que, mais uma vez, trata-se de uma informação falsa. Em maio de 2020, o órgão já havia desmentido um boato semelhante – e o mesmo vale agora. “A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) esclarece que esse tipo de infração não está prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), não havendo qualquer possibilidade de um agente fazer o auto de infração de trânsito”, disse, em nota publicada na ocasião (leia na íntegra abaixo).

Não é obrigado, mas é recomendado

Doer no bolso não vai, mas, agora mais do que nunca, é importante lembrar também da consciência. É que o fato de não ser obrigado a usar a máscara no trânsito não significa que você não deveria usá-la mesmo assim. Especialistas ouvidos pelo BHAZ explicam que, em algumas situações, é até possível dispensar o uso do item – mas, mesmo nesses raros casos, você e as pessoas que te cercam vão estar mais seguros se o uso for mantido.

“Num carro particular, sozinho, eu não vejo problema, desde que, assim que sair do carro, aquela pessoa utilize a máscara. Agora, se ela está com outras pessoas, um passageiro, um colega de trabalho, uma carona, aí tem que usar”, explica o médico infectologista Leandro Curi. O mesmo ponto é reforçado pela infectologista Virgínia Zambelli.

“É recomendado quando tem mais alguém dentro do veículo com você e quando você é parado, ou quando vai passar num drive-thru, por exemplo. Sempre que você vai ter contato com outras pessoas, tem que usar a máscara”, explica à reportagem.

‘Máscara até dentro de casa’

Curi ressalta ainda que a recomendação de usar a proteção perto de outras pessoas inclui qualquer pessoa. Ou seja, se você está sem máscara dentro do carro até mesmo com alguém que mora na mesma casa que você e pensa que não há nenhum problema nisso, é bom ficar atento.

“Mesmo dentro de casa, você vai tentar ficar um pouco mais distante, com a janela aberta. Se você divide o mesmo quarto, dorme com a pessoa, por exemplo, fica mais difícil, mas ainda é recomendado sim”, explica. O médico reforça ainda que as orientações nem sempre são seguidas à risca, mas são as mesmas para qualquer ambiente. “Num mundo ideal, que não é o nosso, o recomendado seria usar máscara até dentro de casa. Então, no carro também é bom”, pontua.

Para aqueles que se recusam a utilizar o item enquanto dirigem, é importante ao menos colocá-lo quando houver contato com outras pessoas. “Num ônibus, por exemplo, tem que usar mesmo. Quando está acompanhado de outras pessoas, tem que usar, é quase autoexplicativo neste momento da pandemia”, reforça Curi, que afirma que o mesmo vale para pedestres. “Às vezes um pedestre tem muito mais contato com outras pessoas do que um motorista”, diz.

Dois problemas, uma solução

Não deveria nem ser preciso dizer que de nada adianta adotar a conduta correta no convívio com outras pessoas e fazer o exato oposto nas redes sociais. Com sorte, a solução para a disseminação de informações falsas é bastante semelhante às orientações repetidas incansavelmente desde o início da pandemia: cuidado e atenção.

Em redes como o WhatsApp, por exemplo, é comum que os boatos venham de pessoas conhecidas – que receberam de outros conhecidos – e, por isso, fica difícil denunciar. Mas não é difícil quebrar a corrente. Por isso, se houver qualquer dúvida sobre a veracidade da informação, não compartilhe. Desconfie de mensagens com erros ortográficos, emojis repetitivos, links desconhecidos e pedidos como “compartilhe para ajudar outras pessoas”.

Se a dúvida persistir, procure os canais oficiais dos órgãos e instituições mencionados no texto e veículos de imprensa de sua confiança. Caso a informação seja de fato verdadeira, as chances de ela não estar publicada nestes lugares são mínimas – e o mesmo vale para o oposto: se nenhum canal oficial estiver falando, é provável que seja falso.

Denuncie

Outras redes sociais, como Instagram, Facebook e Twitter já fazem uso de mecanismos que conectam o usuário às fontes de informação oficiais de cada região. A ferramenta vem sendo muito utilizada especialmente para fatos relacionados à pandemia de Covid-19, mas aparece também em outros temas – e mesmo assim, pode não ser suficiente para te blindar das mentiras.

Por isso, a regra é a mesma: desconfie sempre, não compartilhe e busque verificação em fontes confiáveis. E se você constatar que se trata de uma informação falsa, é possível denunciar à administração da rede. Normalmente, o recurso é simbolizado pelo ícone de reticências (…) que aparece ao lado dos posts ou nos serviços chamados “Fale conosco”.

Nota do Detran-MG na íntegra

É falso o texto que circula em grupos de mensagens e em outras redes sociais informando que o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) está multando os condutores que não estiverem usando máscara dentro do carro, o que valeria para motocicletas também.  

De acordo com  a mensagem, além de multa de R$ 128, o condutor que fosse flagrado sem a máscara, poderia perder três pontos em sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Em uma versão mais recente da falsa história, um áudio foi produzido com um  homem se passando por um locutor de rádio, na tentativa de dar credibilidade a informação. Muitas pessoas têm compartilhado a mensagem viral, gerando confusão. 

Por isso, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) esclarece que esse tipo de infração não está prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), não havendo qualquer possibilidade de um agente fazer o auto de infração de trânsito.

Nota divulgada em 05/05/2020

Edição: Thiago Ricci
Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Repórter no BHAZ desde outubro de 2019. Jornalista graduada pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) e com atuação focada nas editorias de Cidades, Guia e Cultura.

Comentários