Hadadd e Kalil evitam falar sobre 2022 em encontro; ‘Não me rotulem’, diz prefeito de BH

haddad visita bh e conversa com kalil
Fernando Haddad (PT) e Alexandre Kalil (PSD) (Jordânia Andrade/BHAZ)

O ex-candidato à presidência Fernando Haddad (PT) esteve hoje (25) em reunião com o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD). A visita ao chefe do Executivo municipal é a primeira de outros encontros de Haddad na busca por comunicação com parlamentares que, de alguma forma, se colocam como alternativa ao atual governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Durante coletiva, o petista garantiu que a reunião com Kalil não se tratou de aliança partidária ou parcerias para 2022. “A pauta [da reunião] foi 2021, na verdade, desta semana. Ele [Kalil] nos recebeu magnificamente bem. Conversamos sobre a situação da prefeitura, do estado e nacional”, explica Haddad.

Para o professor, é importante que haja esse tipo de diálogo com lideranças que expressam desconforto com a atual situação do país. Haddad ainda reforçou as inúmeras crises que o Brasil vem passando. “Brasil esta numa crise sanitária, econômica, democrática e social”, disse. O petista acredita que uma postura democrática pode ajudar o país a se reerguer.

Fernando Haddad e deputados Gleisi Hoffmann e Reginaldo Lopes (Jordânia Andrade/BHAZ)

Pautas atuais

Fernando Haddad também afirmou que uma das discussões com o prefeito mineiro foi a desvinculação de receitas para saúde e educação. Em seguida, o petista entregou nas mãos de Kalil um plano de reconstrução do Brasil. “Espero que essa conversa renda muitos frutos para o país, sobretudo a população mais pobre”, comentou Haddad.

Fernando Haddad também colocou o Partido dos Trabalhadores à disposição dos mineiros. Para ele, o intuito é que haja apoio nas pautas importantes para Belo Horizonte na Camara. “Os projetos que forem para Camara Municipal, a bancada [do PT] se colocou a disposição para avaliar com muito carinho aquilo que for de interesse popular”, explica.

‘Não me rotulem’

Kalil também conversou com a imprensa após a reunião com o petista. O prefeito disse que não adianta quererem rotulá-lo. Kalil explicou que não está de nenhum lado partidário, mas que se preocupa com as pautas mais importantes do país. “Foi uma conversa gentil, não se tratou de 2022, não é hora de se tratar disso [eleições]. Eu não tenho rótulo, e não adianta me rotular”, disse o prefeito de BH.

O chefe do Executivo trouxe para a conversa sua maior preocupação atualmente: a vacinação contra a Covid-19. Kalil afirmou que tem cobrado os parlamentares mineiros que estão no Senado para responsabilizar o governo federal pela compra das vacinas. “O papel do prefeito é ligar para as lideranças nacionais para dar solução e praticidade aos projetos [de compra das vacinas]”, explica.

Prefeito Alexandre Kalil (PSD) (Jordânia Andrade/BHAZ)

PT pelo Brasil

Haddad e a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, cumprem agenda em Minas nesta semana. Em solo mineiro, o primeiro lugar visitado pelos petistas foi a região do Córrego do Feijão, em Brumadinho, local do rompimento da barragem da Vale. Haddad se encontrou com representantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e sobreviventes da catástrofe. Em seguida, estiveram em Contagem para uma reunião com a prefeita Marília Campos (PT).

Gleisi Hoffmann afirmou que o próximo destino da equipe é o estado do Rio de Janeiro. “Pretendemos encontrar com várias lideranças la [Rio de Janeiro] para fazer esse movimento de proteção ao Brasil e já apresentando um projeto alternativo à esse de destruição”, explica a petista.

Edição: Roberth Costa
Jordânia Andrade
Jordânia Andradejordania.andrade@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde outubro de 2020. Jornalista formada no UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) com passagens pelos veículos Sou BH, Alvorada FM e rádio Itatiaia. Atua em projetos com foco em política, diversidade e jornalismo comunitário.

Comentários