Jovem leva tombo histórico e vídeo do momento viraliza

vídeo tombo
Daniele Kapiche tem a própria “videocassetada” (Reprodução/@danikapiche/Twitter)

“Eu catei tanto cavaco, mas tanto cavaco”… Se você mantém perfis nas redes sociais certamente assistiu ao vídeo protagonizado pela jovem Daniele Kapiche, 24, em algum momento ao longo das últimas horas. Moradora do Espírito Santo, ela levou um tombo daqueles, no meio da rua, e conseguiu as imagens da queda – isso mesmo, ela tem a própria “videocassetada”. Agora, o registro do tombo “histórico”, como Dani define, viraliza pelo Facebook, Instagram, TikTok e Twitter (ufa!).

Aquela terça-feira parecia como outra qualquer para Daniele, até que ela tropeçou em um degrau na calçada de uma rua na cidade de Nova Venécia (ES). Ao BHAZ, ela contou nesta quinta (25) que estava a caminho do almoço, por volta das 11h, quando foi parar no chão. “Eu fiquei com uma vergonha, muita vergonha. Mas depois que vi que não tinha acontecido nada demais, achei engraçado”, relata.

No dia do tombo, a jovem ficou tão mexida que evitou voltar andando pelo trajeto. “Na volta, eu peguei uma moto de tanta vergonha”, revela, entre risadas. “Quando cheguei ao trabalho, as pessoas não acreditavam que eu tinha caído feio”, explica.

A solução foi pedir a um amigo, dono de uma farmácia na mesma rua, as imagens das câmeras de segurança do local. “Todo mundo ficou surpreso com o vídeo, eu catei tanto cavaco, mas tanto cavaco, disseram que foi um tombo histórico”, conta.

‘Há males que vem para o bem

Além de não ter sofrido ferimentos graves, Daniele contou com a ajuda de uma conhecida logo que caiu. Ela se considera sortuda, já que nada de pior ocorreu, e diz que “há males que vem para o bem”.

“Eu tô sem acreditar nessa repercussão toda, não consigo acompanhar minhas redes. Já ganhei quase três mil seguidores”, explica ela sobre a repercussão do vídeo. “Há males que vem para o bem. Teve gente perguntando se torci o pé, se quebrei, se machuquei o rosto, mas só ralei a mão. Não senti mais nada”, diz.

Daniele ainda revela que não usa mais salto para ir trabalhar e que tem evitado a rua do tombo histórico. “Agora eu passo por outra rua e vou de rasteirinha, chega de salto”, conta, antes de deixar um conselho – caso você também sofra uma queda daquelas. “Se não foi grave, leva na esportiva e atenção para o uso do celular enquanto estiver andando na rua”, sugere.

Roberth Costa
Roberth Costaroberth.costa@bhaz.com.br

Editor do BHAZ desde junho de 2018 e repórter desde 2014. Participou do processo de criação do portal em 2012. É formado em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Promove. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2018 e 2019, além figurar entre os finalistas do prêmio Sindibel, também em 2019.

Comentários