Ex-PM faz ‘show’ na Praça do Papa e noite termina em briga com guardas

praça do papa fechada
Policial reformado levou instrumentos para a Praça do Papa e show terminou em confusão (Amanda Dias/BHAZ)

A noite desse sábado (27) terminou em confusão após um “show” de um policial reformado na Praça da Papa, região Centro-Sul de BH. O homem de 55 anos levou caixas de som e instrumentos e cantava no local, quando foi abordado por dois agentes da Guarda Municipal. Irritado, ele rebateu, desacatou os guardas e a confusão acabou evoluindo para uma briga com socos e choques elétricos.

De acordo com o registro policial, por volta das 19h45, os guardas viram o ex-militar na praça, com duas caixas de som, um notebook, uma guitarra e um pandeiro. Um deles relata que perguntou ao homem se ele tinha autorização ou alvará para o show e foi recebido com ataques. Segundo ele, o homem teria reagido de forma ríspida e respondido que eles “não são polícia e nem autoridade” e que “policial aqui sou só eu”.

O guarda conta ainda que, neste momento, o ex-militar ainda não queria se identificar e eles decidiram acionar o Centro de Operações da PM para solicitar a presença de um superior no local. Eles ainda pediram que o homem colocasse a máscara – o que ele também se recusou, sob justificativa de que não conseguiria cantar de máscara.

Agressões

Ainda segundo o relato do guarda municipal, que garante que toda a ação foi filmada, em determinado momento, o ex-militar abaixou o som e partiu para cima dos agentes, repetindo que eles não eram autoridades e chegando a dizer até que ele era “um bosta”. Neste momento, a dupla deu voz de prisão ao homem, que estendeu os braços para ser algemado, mas deu um soco no rosto do guarda que se aproximou para colocar as algemas.

O guarda conta ainda que, depois disso, o homem teria continuado com as agressões e que, por isso, precisaram fazer uso da arma de choque para contê-lo. Mesmo assim, ele teria continuado com as ofensas e palavras de baixo calão até o momento em que foi conduzido a uma delegacia.

O que diz o ex-militar

Aos policiais que atenderam a ocorrência, o ex-militar deu uma versão diferente da dos guardas. Ele confirma que usou termos desrespeitosos, mas somente depois de também ter sido ofendido pelos agentes. O homem conta que estava cantando na praça, quando os guardas chegaram ordenando que ele desligasse o som – o que ele garantiu que faria, mas pediu para aguardarem o fim da música. Foi aí que a confusão começou, na versão dele.

Segundo o policial reformado, o pedido foi negado e, quando se apresentou como policial, ele foi ofendido por um dos guardas – que o chamou de “bosta”. Então, o homem afirma que começou uma discussão mais fervorosa e que ele foi atacado pelas costas com um mata-leão, enquanto o outro agente tentava algemá-lo.

O homem afirma ainda que as agressões continuaram e que ele foi ofendido mesmo após ter se identificado. Ele foi encaminhado até a Ceflan 3, no Barreiro, onde ficou sob custódia da PM e, mais tarde, foi levado a uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) para receber atendimento médico. Os guardas municipais também foram encaminhados a um centro de saúde.

Edição: Vitor Fernandes
Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Repórter no BHAZ desde outubro de 2019. Jornalista graduada pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) e com atuação focada nas editorias de Cidades, Guia e Cultura.

Comentários