Pai estupra a própria filha e avó flagra crime em cidade mineira

viatura PM
Ocorrência foi registrada pela PM (FOTO ILUSTRATIVA: Yuran Khan/BHAZ)

Um homem de 37 anos foi preso suspeito de estuprar a própria filha, de 5, em Almenara, no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, no sábado (27). O crime foi flagrado pela mãe dele que o encontrou sem as roupas praticando a violência sexual contra a criança. Durante a prisão, o homem ameaçou matar um sargento da PM alegando que não havia motivo para ser levado à delegacia.

De acordo com os policiais, o homem foi visto praticando movimento com pernas e quadril e estava sem as vestes, assim como a filha dele. Assim que a avó da menina presenciou a cena, ela deu um grito e retirou a neta do local. O crime bárbaro chocou a todos e uma conselheira tutelar foi solicitada para acompanhar o caso.

A criança vai passar por acompanhamento psicológico. No hospital da cidade não foi possível fazer exames na vítima, visto que não havia a presença de médico especialista.

Ameaça

O pai da criança também foi levado ao hospital, no entanto se negou a passar informações solicitadas. Conforme o registro da ocorrência, ele ainda ameaçou matar um sargento da PM. A alegação dele era de que não havia motivo para ser preso. A ocorrência foi encerrada na Delegacia de Plantão de Almenara.

Onde conseguir ajuda?

Caso você seja vítima de qualquer tipo de violência de gênero ou conheça alguém que precise de ajuda, pode fazer denúncias pelos números 181, 197 ou 190. Além deles, veja alguns outros mecanismos de denúncia:

Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher: av. Barbacena, 288, Barro Preto | Telefones: 181 ou 197 ou 190
Casa de Referência Tina Martins: r. Paraíba, 641, Santa Efigênia | 3658-9221
Nudem (Núcleo de Defesa da Mulher): r. Araguari, 210, 5º Andar, Barro Preto | 2010-3171
Casa Benvinda – Centro de Apoio à Mulher: r. Hermilo Alves, 34, Santa Tereza | 3277-4380
Aplicativo MG Mulher: Disponível para download gratuito nos sistemas iOS e Android, o app indica à vítima endereços e telefones dos equipamentos mais próximos de sua localização, que podem auxiliá-la em caso de emergência. O app permite também a criação de uma rede colaborativa de contatos confiáveis que ela pode acionar de forma rápida caso sinta que está em perigo.

Seja qual for o dispositivo mais acessível, as autoridades reforçam o recado: peça ajuda.

Edição: Roberth Costa
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários